Mark Zuckerberg e o Facebook podem vir a ter de pagar mil milhões de dólares (706 milhões de euros) de indemnização, caso o tribunal norte-americano atenda as pretensões de Larry Klayman, que anunciou ontem ter intentado um processo contra rede social e fundador.

Em causa não estão, desta vez, quaisquer pretensões à titularidade de direitos sobre o serviço, como nos habituámos a ver, mas antes uma questão relacionada com a responsabilidade relativamente a conteúdos difundidos através do serviço.

Neste caso, a queixa é movida por um conhecido activista, advogado e ex-procurador do Departamento de Justiça norte-americano que acusa a rede social de ter demorado tempo demais a remover uma página que apelava a uma terceira intifada contra a população judaica de Israel.

O processo intentado por Larry Klayman, também ele descendente de judeus, deu ontem entrada no tribunal de Washington, relata num comunicado online. O advogado alega que Marck Zuckerberg e o Facebook mantiveram a página online intencionalmente, com o propósito de obter proveito económico.

A página foi removida a 29 de Março porque, segundo a rede social alegou na altura, fazia apelos directos à violência, o que consubstancia uma violação da política de utilização do serviço.

Os apelos dirigidos a palestinianos incentivavam a que saíssem às ruas após as orações de sexta-feira, 15 de Maio, com frases como "o Dia do Julgamento só chegará a nós quando os Muçulmanos tiverem matado todos os Judeus". O movimento online terá reunido mais de 340.000 fãs, segundo relatam os meios internacionais.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.