A Dinamarca, Estados Unidos e Suécia continuam nos primeiros lugares do índice e-readiness 2007, preparado pela Economist Intelligence Unit. Face a uma melhoria global do nível de preparação das economias para aproveitar as oportunidades da Internet, Portugal caiu este ano uma posição, situando-se agora no 27º lugar.

Os países asiáticos estão actualmnete entre os que mais evoluiram neste índice que é realizado desde 2000. Os dados do estudo mostram que o forte papel dos governos no fomento e adopção das TIC favoreceram a melhoria da posição destes países no índice. Singapura aparece agora em sexto lugar, enquanto a Coreia do Sul sobe para 16º, Taiwan para 17º e o Japão para 18º.

De acordo com um comunicado à imprensa, uma mudança realizada este ano na metodologia dos rankings levou a mudanças na tabela de classificação. Alguns países, em particular na Ásia, registaram subidas das posições, enquanto outros sofreram algumas descidas, na sua maioria ligeiras, como é o caso de Portugal.

Mesmo assim, mantêm-se os mesmos princípios definidos para o e-readiness e nove dos países que estavam entre os dez primeiros lugares em 2006 mantêm a sua posição cimeira.

Robin Bew, director editorial da Economist Intelligence Unit, lembra que a "a liderança tecnológica no mundo está a tornar-se num objectivo instável" e que "aqueles se encontram nos lugares cimeiros da tabela actual não podem ser complacentes: mudar tecnologias e atitudes ao seu emprego significa que as vantagens obtidas à custa de muito esforço podem rapidamente ser anuladas por concorrentes mais rápidos", sublinha, citado em comunicado.

Para além das classificações dos países o e-readiness 2007 apurou ainda algumas tendências, entre as quais o facto dos objectivos dos países estarem a mudar e não se centrarem só no nível de conectividade de Internet, mas também na sua rapidez, segurança e acessibilidade.

Na sequência da avaliação deste ano a Economist Intelligence Unit conclui também que o fosso digital entre países do mundo está a reduzir-se, reflectindo-se na taxa mundial de e-readiness que é agora de 6,24 face aos 6,02 obtidos em 2006. a distância entre os países com melhor e pior cotação baixou de 6,08 para 5,80 pontos este ano.

O ranking anual de e-readiness utiliza um modelo desenvolvido conjuntamente com o Insitute for Business Value da IBM. A análise mede o ambiente de e-business, um conjunto de factores que indicam o quão receptivo um mercado está relativamente às oportunidades assentes na Internet.

Notícias Relacionadas:

2006-07-11 - Tecnologias são elemento chave de crescimento e competitividade nas médias empresas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.