A utilização dos cartões para pagamento de compras efectuadas online aumentou acentuadamente durante o último trimestre de 2003 de acordo com o mais recente relatório Unicre/Vector 21 "Os Portugueses e as Compras na Internet". Embora em menor número do que o registado no período anterior (menos 4,1%), os portugueses que compraram na Internet optaram, na sua maioria, por aquele método em detrimento de outras formas de pagamento, como a cobrança, o cheque, o MBNet, a transferência bancária ou a referência Multibanco.




Do terceiro para o quarto trimestre, o valor médio de utilização dos cartões de pagamento passou de 1,8 para 2,2 - numa escala de 1 a 4, em que 1 significa "nada utilizado" e 4, "muito utilizado" -, tendência que vai no mesmo sentido das conclusões do relatório paralelo "os Comerciantes Online", segundo as quais o cartão foi a forma de pagamento mais utilizada, o que acontece também pela primeira vez em seis anos de análise Unicre/Vector 21 ao consumo online em Portugal.




Entre os inquiridos, 13 por cento revelaram já ter aderido ao MBNet ao mesmo tempo que 20 por cento pensa vir a fazê-lo durante o primeiro trimestre de 2004, o que para os responsáveis do relatório indica a importância atribuída ao grau de segurança proporcionado por esta forma de pagamento através do cartão, mas em que os dados do mesmo nunca são fornecidos ao comerciante.




Os quadros superiores foram, no quarto trimestre de 2003, a categoria profissional que maior peso teve na segmentação geral dos compradores online, representando uma parcela de 26,1 por cento dos inquiridos. Por sua vez, a respectiva idade média situou-se nos 31 anos.




A quantia de dinheiro gasta por comprador entre Outubro e Dezembro de 2003 aumentou substancialmente , passando de um valor médio de 385 euros registado no terceiro trimestre, para 434 euros entre Outubro e Dezembro de 2003. No mesmo período, a média mensal do valor gasto em compras online passou de 128 euros para 145 euros.




O produto mais adquirido via Internet, segundo os internautas, foi o livro (referido por 53,3% dos inquiridos), ocupando os artigos informáticos a segunda posição (referidos por 26,7%). Por seu lado, os produtos indicados pelos responsáveis das lojas electrónicas nacionais como tendo sido os mais vendidos ao longo de 2003 foram as reservas em unidades de alojamento, os CDs/Cassetes e os produtos informáticos, uma divergência que poderá estar relacionada com as compras por parte de clientes estrangeiros. No geral, os internautas portugueses que compram na Internet confessam-se muito satisfeitos com a qualidade do serviço.




Durante o quarto trimestre de 2003, os comerciantes referiram que as suas vendas aumentaram para todas as regiões, com excepção do Alentejo/Algarve. Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a região que mais contribui para as compras efectuadas nas lojas nacionais. Quanto às vendas para o estrangeiro, apesar de terem registado um grande aumento, continuam a ser a parcela que menos expressão tem em termos globais.




O relatório Unicre/Vector 21 indica ainda que a Internet continua a ser um meio de divulgação por excelência. Durante o último trimestre de 2003, a maioria dos portugueses utilizou a Web como forma de obter informações complementares sobre os produtos, para posterior compra nos estabelecimentos de comércio presencial.





Notícias Relacionadas:

2004-01-14 - Lojas online nacionais apostam no mercado externo


2003-09-30 - Consumidores portugueses aumentam o valor médio despendido em compras online

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.