Os dados são do Netpanel meter e indicam que entre janeiro e dezembro de 2015 2.627 mil internautas, residentes no Continente, acederam a sites de ofertas de emprego a partir de computadores pessoais. O número corresponde a 43,5% dos internautas nacionais.

Segundo os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística, a taxa de desemprego subiu para os 12,2% entre o terceiro e o quarto trimestre de 2015, e um terço dos desempregados procura trabalho há mais de três anos, o que configura uma situação de desemprego de longa duração que se torna preocupante.

Tal como acontece noutros países, a utilização de sites de informação e registo de ofertas de emprego tem vindo a crescer, entre as iniciativas provadas e públicas. 

A Marktest revela que, entre as diferentes opções, o site www.net-empregos.com liderou a tabela dos mais consultados em Portugal em número de utilizadores únicos e tempo de acesso, com 1.528 mil utilizadores e 1,4 milhões de horas de visita, enquanto o site do Instituto de Emprego e Formação Profissional, www.netemprego.gov.pt, liderou em páginas visitadas com um registo de 177 milhões.

 

No total do ano foram visitadas perto de 619 milhões de páginas de sites de emprego, numa média de 235 por utilizador, o que se justifica pelo acesso às diferentes ofertas que são publicadas.

O tempo total de navegação nestes sites foi de 3,8 milhões de horas, uma média de 1 hora e 26 minutos por utilizador, refere a Marktest.

Olhando para o perfil de navegação, janeiro foi o mês com maior número de utilizadores nos sites de emprego, com 1.077 mil utilizadores únicos, mas entre setembro e novembro foram consultadas mais páginas nestes sites, com mais de 60 mil em cada mês, somando-se também mais tempo de navegação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.