A Escola Virtual é a mais recente aposta da Porto Editora e constitui-se como uma plataforma de ensino e aprendizagem inovadora, pretendendo mostrar que o estudo das matérias curriculares pode ser abordado de um modo integrado e credível através da Internet de banda larga.




O projecto entrou ontem em funcionamento e está acessível, para escolas e pais de alunos, mediante subscrição paga no valor de 9,90 euros por disciplina, válida ao longo de cada ano lectivo.




Numa primeira fase, são contempladas as disciplinas de Português B, Matemática, Biologia, Física e Química, ao nível do 12º ano, e Português e Matemática, para o 9º ano, mas progressivamente a Escola Virtual irá receber outras disciplinas dos vários anos de escolaridade. O objectivo é criar e disponibilizar na plataforma online conteúdos para todos os anos do ensino básico e secundário, nas principais disciplinas curriculares, até 2007, indicaram os responsáveis da Porto Editora na conferência de imprensa de apresentação, ontem à tarde.




Embora de início o projecto se concentre mais na vertente aluno, a intenção da Porto Editora a médio prazo passa também pela aplicação da experiência interactiva no contexto da sala de aula. Rui Pacheco, director do Centro Multimédia da Porto Editora, adiantou que decorrem neste momento negociações com um pequeno grupo de escolas da região do Porto - metade privadas e a outra metade públicas -, para o estabelecimento de protocolos de cooperação nesse sentido. Com estes projectos-piloto, será mais fácil à editora obter reacções por parte dos professores, alunos e pais, e deste modo melhorar a sua "escola virtual" mediante as necessidades mostradas.




"Este será um projecto que irá marcar o futuro da educação em Portugal", considera Vasco Teixeira, director editorial da Porto Editora.




Presente no evento, Roberto Carneiro, ex-Ministro da Educação e actualmente ligado à Universidade Católica Portuguesa, congratulou a Porto Editora pela sua nova aposta e comparou-a ao conceito de "Escolas Navegadoras" que promove há alguns anos e que começará a ser concretizado num futuro muito próximo.




"Os modos de aprender e ensinar estão em profunda transformação e as novas tecnologias são um motor importante na actual formação pedagógica que contudo não devem ser encarados como instrumentos informacionais, e antes como instrumentos comunicacionais, relacionais e emocionais", aconselhou o ex-Ministro da Educação.




CD-ROM à falta de banda larga


A principal componente da Escola Virtual assenta na Internet de banda larga, "mas como esta ainda não é uma realidade, quer na totalidade das escolas portuguesas quer no universo dos agregados familiares", salientou Rui Pacheco, a Porto Editora adaptou parte do projecto para o formato CD-ROM, disponibilizando um título por cada disciplina e ano de escolaridade.




Ao que tudo indica, não existem diferenças substanciais entre a versão online e a versão offline das aulas, "os conteúdos curriculares são sempre os mesmos", garante a editora salvaguardando que funcionalidades como a componente de monitorização do progresso na aprendizagem, o registo personalizado do tempo de estudo, o Fórum destinado à discussão de matérias e o Centro de Recursos estão reservados aos "ciber-utilizadores" do serviço.




Cada CD-ROM terá um preço de venda ao público de 19,99 euros, dando acesso à inscrição gratuita na respectiva disciplina da Escola Virtual vertente Internet.




Notícias Relacionadas:

2004-10-07 - Diciopédia 2005 garante maior interligação entre conteúdos

2004-05-22 - Infopédia renovada em altura de primeiro aniversário

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.