No âmbito da Semana da Internet que agora decorre, o Ministro David Justino alinhou algumas das prioridades do Ministério da Educação na área das Tecnologias da Informação e da Comunicação. O ministro da Educação assistiu hoje a uma demonstração do funcionamento da tecnologia de Power Line Communications numa escola em Lisboa, tendo depois participado também na Conferência Internacional de Banda Larga.



Reforçando a ideia de que o ensino das TIC é fundamental para garantir competências aos alunos no acesso ao mercado de trabalho e como ferramenta de evolução cultural e educativa, David Justino explica que os conteúdos educativos são uma base fundamental da preocupação da seu Ministério.



Por isso mesmo está a ser preparado o Banco de Recursos Educativos Digitais, que já está a ser preparado com a participação de vários parceiros e que pretende mobilizar os conteúdos educativos que vão sendo produzidos pelos professores, centros de formação e associação de professores, colocando-os à disposição de todos para que possam ser usados em contexto de sala de aula ou no âmbito de projectos educativos.



Sem querer confirmar uma data para o lançamento deste Banco de Recursos, o Ministro assegurou que a meio do próximo ano lectivo deverá estar acessível a todos, mas que falta ainda fazer uma apresentação que possa ao mesmo tempo apelar para a participação dos professores.



Outras medidas que estão a ser tomadas no Ministério da Educação na área das Tecnologias incluem o alargamento do ensino obrigatório de TIC ao 10º ano, sendo que actualmente essa disciplina existe apenas no 9º ano de escolaridade; a criação de 1000 salas de aula para ensino de TICs nos próximos meses; o reforço do programa de formação de professores para as Tecnologias e o alargamento do programa de mobilidade e-U ao ensino básico e secundário, uma meta a atingir até 2006.



Detalhando o projecto das salas de aula, David Justino declarou ao TeK que está previsto que seja finalizado até Julho e que as cerca de mil novas salas de formação em TIC vão ter 14 computadores cada uma, um servidor e um projector. "Está já definido que os postos de trabalho vão funcionar em dual boot, com Windows e Linux, mas que os servidores serão Windows", explicou ainda David Justino, afirmando que a formação aos professores vai também ser sobre Linux.

Notícias Relacionadas:

2003-07-03 - Alunos portugueses querem mais uso de computadores nas aulas

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.