Mais que uma advertência por violação de direitos de autor, que por norma direciona as respetivas receitas para o detentor original (Content Advertising), os Strikes são avisos graves de apropriação de propriedade intelectual alheia ou outra infração. Cada Strike retira benefícios aos detentores do canal, ora a impossibilidade de gerar receitas nos conteúdos por determinado tempo, de fazer live streams, mas à terceira advertência o canal é automaticamente bloqueado.

Por norma, o YouTube não interfere no sistema, pelo que muitas vezes um Strike é uma marca no “currículo” que permanece, e na maior parte das vezes terá de ser o queixoso a retirá-lo para que o canal volte à normalidade. Nesse sentido, segundo o website TorrentFreak, o sistema está a ser explorado em esquema para extorquir produtores de conteúdos.

O youtuber ObyyRaidz, mais conhecido por fazer vídeos de Minecraft, reportou que um grupo de scammers, depois de submeter dois strikes falsos no sistema, contactou-o a pedir-lhe uma soma monetária via Twitter, ameaçando-o de avançar com um terceiro. “Olá Obyy, fizemos-te um Strike. Queremos que nos pagues 150 dólares ou $75 btc”, era requerido pelos criminosos. A mensagem explica que depois do pagamento seriam levantadas as advertências, dando-lhe muito pouco tempo para o fazer.

Apesar das ameaças graves e do crime de extorsão, ObyyRaidz não teve qualquer assistência do YouTube. “É uma pena que o YouTube não tenha feito muito por mim. Não consigo entrar em contacto com ninguém. Uma das minhas contestações não foi aceite”, explica o autor no seu vídeo que expôs sobre o esquema. Muito provavelmente o seu pedido de ajuda público irá chamar a atenção da plataforma, que deverá encontrar soluções para evitar este tipo de vulnerabilidade aos seus criadores.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.