A Universal Music intentou um processo em tribunal contra o site de música GrooveShark, de acordo com a imprensa internacional.

Aquela que é uma das maiores editoras discográficas do mundo alega que o serviço - com uma oferta gratuita de música financiada por publicidade - aloja nos seus servidores cópias ilegais de temas do catálogo da Universal anteriores a 1972, onde se incluem temas dos The Jackson Five, Buddy Holly e The Who, por exemplo.

O Grooveshark é um serviço de pesquisa e partilha de música onde os membros disponibilizam os seus mp3, que ficam acessíveis a qualquer pessoa que visite o site, mas a Universal acusa o serviço de usar a "bandeira" do acesso gratuito para gerar tráfego e facturar com a publicidade no site.

A Universal alega também que o site se recusa a fornecer software para filtrar os ficheiros que se encontram sujeitos a direitos de autor porque "o seu plano de negócio é baseado na violação dos direitos de autor".

A editora discográfica refere ainda que disponibiliza licenças que habilitam serviços como o MySpace ou o Rhapsody a fornecer música em streaming de forma legal, realçando as diferenças entre estes e o GrooveShark.

Entre os argumentos estão também a disponibilização pelo site de ferramentas que dotam os utilizadores de meios para a "partilha viral" de música ilegalmente e os "encorajam" a fazê-lo.

No processo - que deu entrada num tribunal de Nova Iorque no dia 6 de Janeiro, como se pode confirmar pelo documento oficial que a Universal disponibiliza online - pede que o serviço seja impedido de disponibilizar os temas do catálogo da Universal pre-1972 e ainda a condenação do serviço numa indemnização pelos danos causados, a fixar pelo tribunal.

Em Junho o site foi alvo de outra acção, intentada pela EMI, mas conseguiu, no passado mês de Outubro, chegar a um acordo com a editora para licenciamento dos conteúdos.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.