O Programa CMU Portugal vai permanecer ativo pelo menos durante os próximos quatro anos, graças ao acordo assinado hoje entre a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP) e a Carnegie Mellon University (CMU).



O protocolo prevê a colaboração entre universidades portuguesas e a universidade americana em projetos de investigação e formação avançada nas áreas das Tecnologias de Informação e Comunicação e prevê um investimento anual de quatro milhões de euros, a concretizar ao longo dos próximos cinco anos.



O CMU-Portugal envolve hoje, para além da universidade norte-americana, nove universidades portuguesas, quatro laboratórios, o Instituto de Soldadura e Qualidade, 80 empresas.



No âmbito da colaboração entre as diversas entidades foram criados sete doutoramentos e quatro mestrados profissionais de grau dual, que proporcionam aos alunos um diploma da universidade portuguesa e outro da Carnegie Mellon.



Desde o lançamento do programa, em 2007, já participaram 270 alunos e estiveram envolvidos mais de 150 professores portugueses. Quarenta e dois professores portugueses aproveitaram para passar um semestre a ensinar e investigar na CMU e foram realizados 25 projetos de investigação.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Cristina A. Ferreira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.