A Alcatel e a Lucent chegaram a um entendimento sobre a fusão das suas operações. Recentemente as duas empresas já tinham confirmado a existência de negociações, que resultam agora na aquisição de 60 por cento do capital da empresa americana pela fabricante francesa, por 13,4 mil milhões de dólares.



Juntas, as companhias criam um gigante nos produtos e serviços de telecomunicações com presença forte no mercado de equipamentos americano, pelo lado da Lucent, e no mercado europeu, chinês e africano de infra-estruturas, pelo lado da Alcatel, com um facturação anual conjunta de 25 mil milhões de dólares.



"A concorrência está a aumentar e o tamanho e a escala de facto interessam" justifica em conference call a CEO da Lucent, Patricia Russo, que passará a CEO da nova companhia, ainda sem nome definido.



Mundialmente as duas empresas admitem abdicar de 10 por cento da sua força de trabalho, para eliminar duplicações, medida não prevista para Portugal. José Vieira, director de comunicação da Alcatel, explicou ao TeK que "o valor acrescentado da junção das duas companhias é tão grande que não prevemos a necessidade de reduzir pessoas".



O responsável lembra no entanto que o negócio só estará concretizado num período de 6 meses a um ano, já que requer autorizações das autoridades regulamentares americana e europeia e será durante esse período que os responsáveis locais irão definir os moldes de fusão para cada país.



José Vieira sublinha que "as perspectivas são sinceramente positivas" em termos de evolução do negócio, quer a nível local, quer a nível internacional e lembra que ambas as companhias estão a apostar forte nas redes de próxima geração (MGM) o que permitirá juntar clientes e ficar com uma posição interessante no mercado. Cada uma das companhias gere já hoje 7 a 10 projectos nesta área. Em conjunto mantêm outros 140 trials em vários países do mundo, incluindo Portugal.



Recorde-se que já em 2001 as duas empresas tinham levado a cabo negociações no sentido de vir a fundir operações. Esta primeira ronda de negociações não teve sucesso porque a Lucent não abdicou da intenção de vir a deter uma posição maioritária na nova empresa. Em Portugal, a Alcatel emprega directamente 350 funcionários e indirectamente outros tantos. A Lucent emprega poucas dezenas de funcionários.



Notícias Relacionadas:

2006-03-24 - Alcatel e Lucent Technologies estão em conversações para uma eventual fusão

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.