A viabilização dos negócios da Qimonda continua difícil. O consórcio português constituído para adquirir a Qimonda Solar suspendeu as conversações com os alemães da Centrosolar, tendo decidido avançar sozinho para o projecto.

Segundo a agência Lusa, o consórcio português, do qual fazem parte a DST, a Visabeira, a EDP, a Inovcapital e os bancos BPA, BES e BCP, refere num comunicado que "não foi possível concluir com sucesso as negociações que vinham a ser mantidas com o parceiro alemão Centrosolar".

Refira-se esta sociedade portuguesa foi oficialmente estabelecida no passado dia 5 de Junho com a divulgação de um princípio de acordo para a aquisição dos activos solares da Qimonda AG (projecto Itarion) e para o financiamento do respectivo projecto.

Segundo informação disponibilizada na altura, o consórcio iria investir 150 milhões de euros na aquisição de 51 por cento do capital da sociedade que a Qimonda mantinha nesta área.

A Qimonda Solar é uma unidade de produção de células fotovoltaica, ainda em fase de desenvolvimento, criada no ano passado no âmbito de uma parceria com a Centrosolar.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.