Depois de iniciar uma campanha contra Donald Trump em 2015, no decorrer da corrida eleitoral que precedeu as últimas presidenciais norte-americanas, o famoso grupo de hackers, Anonymous, voltou a ameaçar o agora presidente-eleito.

Embora a primeira declaração conjunta do grupo tenha sido feita depois de Trump assumir que iria impedir todos os muçulmanos de entrar no país caso fosse eleito, o grupo tem-se mantido discreto acerca de todas as outras posições polémicas tomadas pelo próximo presidente dos Estados Unidos da América.

Os hackers decidiram quebrar o silêncio esta terça-feira. Em resposta a um tweet publicado por @realDonaldTrump, aquele que é conhecido como o principal perfil dos Anonymous acusou o americano de ter ligações pessoais e financeiras "a mafiosos russos, a traficantes de crianças e a pessoas envolvidas em esquemas de lavagem de dinheiro". "Já não estamos nos anos 80, a informação não desaparece, está tudo por aí. Vais arrepender-te dos próximos quatro anos", acrescentou.

As mensagens não foram sustentadas por quaisquer documentos e deixaram alguns utilizadores a perguntar quando é que o grupo trataria de trazer essa informação à luz do público. Em resposta aos apelos, o grupo disse que esse era agora o dever da população norte-americana.

 

Nota de Redação: Onde se lia que Trump era acusado de ter ligações "à máfia russa, ao tráfico de crianças e a esquemas de lavagem de dinheiro" pode ler-se agora que Donald Trump foi acusado "de ter ligações pessoais e financeiras 'a mafiosos russos, a traficantes de crianças e a pessoas envolvidas em esquemas de lavagem de dinheiro". A alteração deve-se ao facto desta tradução ser mais semelhante à versão original do texto publicado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.