A Beats foi comprada pela Apple em maio, por um valor em torno dos 3 mil milhões de dólares, mas uma notícia publicada esta segunda-feira pelo Techcrunch garantia que a empresa tem planos para acabar com o serviço de música em streaming e despedir funcionários.



Escrevia o site, que a medida seria a confirmação de uma tendência conhecida da Apple, que sempre privilegiou uma lógica de unificação de marcas.



Outros sites como o Re/Code terão tido também informação de fontes não identificadas sobre os planos da Apple, mas interpretam de outra forma os planos da empresa e avançam que a companhia está apenas a preparar algumas alterações à estrutura atual da Beats, que pode passar por alterar a marca.



A publicação destas informações mereceu já uma reação da Apple que habitualmente não comenta rumores, nem reage a informações especulativas sobre o seu negócio. Desta vez fê-lo para garantir que não tem planos para descontinuar o serviço da Beats Music. "Não é verdade", diz a empresa.



O serviço de música da Beats conta com 250 mil subscritores pagos, um número pouco representativo quando comparado com o de outras plataformas, como o Spotify, que conta com 10 milhões de utilizadores na versão paga e 30 milhões de utilizadores na versão gratuita.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.