Em abril, a Intel anunciou que ia abandonar a produção de modems 5G para smartphones. O anúncio surgiu depois de a notícia de que a Apple, cliente da Intel, tinha chegado a acordo com a Qualcomm, empresa especializada no fabrico de chips 5G.

A imprensa internacional avançou que a empresa estava a atravessar dificuldades em cumprir os prazos para produzir os seus chips 5G, o que poderia comprometer o planeamento do lançamento dos próximos iPhones pela empresa de Tim Cook.

Na altura, o CEO da Intel, Bob Swan, referiu que se “tornou evidente que não existe um caminho claro para garantir a rentabilidade" do negócio de modem para smartphones, pelo que optou por manter a empresa afastada desta área.

Entretanto, as ações da Intel subiram mais de 1% esta segunda-feira, quando já tinham vindo a público notícias que davam conta deste negócio entre a Apple e a Intel.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.