Concretizou-se ontem a já anunciada operação de transferência de posição na PT Multimédia do Barclays para a Caixa Geral de Depósitos. O banco estatal adquiriu um total de 30.575.090 acções que passam a garantir-lhe uma participação de 11,1 por cento no capital da empresa que gere a TV Cabo.




A esta participação directa somam-se participações indirectas e uma participação de 0,00492 por cento obtida via fundo de pensões através da sua seguradora, a Fidelidade Mundial.



Desta forma, a CGD, que já detinha pouco mais de 1 por cento na PTM, passa a garantir uma participação de 11,2638 por cento na operação que a Portugal Telecom está prestes a alienar, tornando-se o segundo maior accionista da empresa, logo a seguir à PT SGPS que controla 58,43 por cento do capital da PTM.



A nova configuração accionista da PTM remete para terceiro maior accionista o Banco Espírito Santo, que conta com uma participação de cerca de 8 por cento. Com a operação de venda da empresa a posição do BES - que já garantiu só ter interesse numa participação financeira - verá reforçada a actual quota na empresa, o mesmo que acontecerá à CGD, o que irá manter a ordem no ranking de maiores accionistas.



Recorde-se que este ano a PT Multimédia deverá ser alienada pela PT, uma decisão já aprovada em Assembleia-geral e que surgiu de uma promessa feita pela equipa de Henrique Granadeiro no contexto da OPA da Sonaecom.



Notícias Relacionadas:

2007-04-27 - Assembleia Geral da PT aprova separação da PT Multimédia

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.