A forte concorrência e a luta pela contratação de recursos humanos especializados são actualmente apontados pelos gestores como os principais desafios que se colocam à indústria tecnológica, segundo os dados reunidos pela PricewaterhouseCoopers num estudo denominado "Embrancing Change in the Technology Industries".



Os 126 gestores inquiridos indicam que a forte concorrência, quer das empresas já consolidadas no mercado quer de novas empresas, e a luta feroz pelo recrutamento de talentos são as questões que no momento mais os preocupam. A concorrência de empresas bem posicionadas no mercado foi mencionada por 48 por cento dos inquiridos como o principal risco a enfrentar, seguido da capacidade de atracção de empregados e competências (42%) e do surgimento de novos concorrentes (31%).



No mesmo estudo, os gestores mostram considerar que se devem manter flexíveis em termos de estratégias, modelos de negócio e culturas, de modo a continuar a acompanhar a evolução e a progredir, apesar de afirmarem que a velocidade da mudança na indústria tecnológica tem vindo a abrandar. Enquanto 82 por cento definiram as mudanças registadas nos últimos dez anos como profundas, apenas 71 por cento antecipam o mesmo nível de mudança na próxima década.



Quando questionados sobre o que terá maior impacto positivo nas empresas tecnológicas ao longo dos próximos dez anos, 75 por cento dos inquiridos assinalaram a convergência para os serviços digitais e a expansão económica na Europa (64%), na China (63%) e na Índia (62%).



As questões mais negativas como o terrorismo global, a subida dos preços da energia e o ciberterrorismo não parecem preocupar muito os decisores, segundo a PricewaterhouseCoopers.



As parcerias e joint-ventures tecnológicas continuam a ser importantes, tendo sido classificadas como a segunda estratégia mais valiosa, superada apenas pela interacção com o cliente. Setenta por cento dos inquiridos acreditam que um concorrente pequeno ou uma start-up tem mais possibilidades de criar um produto ou um modelo de negócio inovador e avançado do que uma empresa maior e mais consolidada.



O crescimento da Internet, o emergir da China e o acréscimo de poder de consumidores cada vez mais informados são os acontecimentos ou tendências da próxima década que poderão vir a ser recordados daqui a 100 anos como os mais importantes, na opinião da maioria dos gestores inquiridos.



O estudo "Embracing Change" da PricewaterhouseCoopers foi desenvolvido em parceria com o Economist Intelligence Unit e é o primeiro de um conjunto de seis documentos a publicar ao longo dos próximos 18 meses sob o mote "Technology Executive Connections".


Notícias Relacionadas:

2005-06-09 - Adesão das grandes empresas a VoIP será massiva até 2010

2005-05-08 - Gestores portugueses encaram o país como inovador

2005-04-07 - Empresas encaram TI como ferramenta competitiva para os próximos cinco anos

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.