"Embora se tenha verificado uma redução, as compras online têm ganho um peso crescente no total das compras efetuadas ao longo das últimas semanas, registando uma quebra menos significativa relativamente ao panorama global do consumo em Portugal", explica a SIBS no relatório semanal que desta vez inclui a área das compras online. A operadora de pagamentos eletrónicos tem disponibilizado um boletim semanal com a evolução das transações, mostrando a forma como mudam os hábitos de compras dos portugueses em tempo de quarentena.

Mesmo assim o relatório mostra que também as compras online estão a sofrer com o confinamento dos portugueses. O número de compras online "diminuiu 30 pontos face à média registada antes da confirmação do primeiro caso de COVID-19 registado em Portugal", refere a empresa. "Este valor compara com o acentuar da quebra do número de transações presenciais em loja, que registou esta semana uma quebra de 56 pontos base no número de compras totais em comparação com o registo médio anterior ao início da propagação do novo Coronavírus em Portugal", adianta.

Menos compras mas mais valor de gastos médios

Apesar da redução do volume de compras, o montante médio das compras no comércio online aumentou, e passou de uma média de 37,5€ por compra, antes do registo do primeiro caso de COVID-19, para os atuais 39,7€ por compra, registados na semana de 23 a 30 de março, com um aumento de 6%.

O mesmo acontece nas compras físicas, onde o valor gasto é mais elevado, passando para os 38,8€ em loja, mais 12% do que os registados antes da pandemia.

MB Way desce menos do que a média de compras

Uso de Multibancos cai 50%. Portugueses aproveitam redução de taxas de MB Way e compram mais online
Uso de Multibancos cai 50%. Portugueses aproveitam redução de taxas de MB Way e compram mais online
Ver artigo

A SIBS tem feito uma campanha para promover a utilização da sua app MB Way como forma de pagamento mais segura, por evitar o contacto, mas também esta forma de pagamento está a diminuir, embora menos do que os cartões. "Olhando exclusivamente para as compras realizadas através de MB WAY, a redução é menos significativa tanto no comércio físico como no online", refere a SIBS em comunicado, dizendo que nas compras físicas a quebra foi de apenas 22 pontos face à média dos primeiros meses do ano, enquanto nas compras online a quebra foi de apenas 14 pontos face à média dos primeiros meses do ano.

Supermercados e Farmácias dominam compras

À semelhança do que aconteceu nas semanas anteriores, a maioria das compras físicas concentra-se em Super e Hipermercados, assim como em Farmácias e Parafarmácias, sendo que os dois setores continuam a representar mais de metade (58%) das compras efetuadas em Portugal na última semana.

Mais uma vez regista-se uma tendência de redução de compras no estrangeiro, que passaram para menos de um terço do valor face à media antes da confirmação do primeiro caso de  COVID-19 registado em Portugal. O valor de compras de estrangeiros em Portugal teve também "uma fortíssima redução de 85 pontos face à média inicial", indica a mesma fonte.

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com mais informação e os gráficos. Última atualização 12h33

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.