O aviso partiu do organismo que representa os taxistas locais, que ameaça fazer uma greve a partir do dia 16 de setembro. Para evitar a medida a o Governo local tem 10 dias para tomar medidas contra a empresa norte-americana que desenvolveu a aplicação de boleias, que um um pouco por todo o mundo se transformou num concorrente sério aos serviços fornecidos pelos táxis.

Os taxistas belgas querem que o Governo detenha os condutores da Uber e também pedem a divulgação pública dos resultados de um inquérito sobre suspeitas de fraude na empresa.

 Os taxistas belgas voltam a reunir-se no dia 1 de setembro para decidir se a convocatória de greve se mantém, escreve o site Politico.eu, que avançou a notícia. Na reunião podem ainda ser definidas novas medidas de protesto.

Recorde-se que na Bélgica existe já uma decisão da justiça que considera ilegais os serviços da Uber e que definia uma multa de 10 mil euros diários, caso os serviços da empresa continuassem a ser fornecidos no país. A multa seria aplicada aos condutores, por cada  passageiro transportado.

Desde então foram detidos 30 motoristas da empresa mas os serviços da Uber continuam disponíveis no país.

Em Portugal a situação não é muito diferente. Também há uma decisão judicial a proibir os serviços da empresa que não está a ser cumprida.

Na semana passada as associações de sector deixaram a promessa de medidas reivindicativas para setembro.

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.