O acordo hoje assinado entre a Universidade de Carnegie Mellon e o Governo português volta a privilegiar o envolvimento de empresas, que participaram no protocolo desde o primeiro momento. A Portugal Telecom, a Novabase e a Siemens estão em destaque, mas o acordo liga 15 PMEs de base tecnológica, entre as quais se encontram a Critical Software, SkySoft Portugal, Altitude Software e Priberam Informática.

O ministro Mariano Gago louvou o papel destas empresas e o seu empenho no desenvolvimento do acordo, mas também os compromissos assumidos.

Para além de co-financiarem o programa, as empresas que hoje assinam o protocolo concordaram em envolver recursos humanos e operacionais, aumentar o seu investimento em I&D e estabelecerem níveis de contratação de doutorados e mestrados no âmbito desta colaboração com a CMU.

"A nossa ambição é usar a oportunidade do programa para estimular um novo contexto de inovação em Portugal", acrescentou Manuel Heitor, secretário de estado da Ciência e Tecnologia, que adianta que a Portugal Telecom se comprometeu a co-financiar o programa e envolver recursos, para além de duplicar o seu investimento interno em I&D até 2009, atingindo os 1,5 por cento do total de facturação até 2011.

Um compromisso semelhante foi assumido pela Novabase, com a mesma meta de atingir o investimento em I&D de 1,5 por cento até 2009, mas a Siemens vai mais longe com a meta de investimento, em Portugal, de 5% da facturação em I&D e contratação de 10 doutorados por mês até final de 2009, assim como 25 novos contratos de especialistas nos próximos 5 anos.

As pequenas empresas de base tecnológica envolvidas comprometeram-se ainda a duplicar o investimento em I&D, realizado intra-muros, ou atingir pelo menos 5 por cento da facturação até 2009. O compromisso estende-se ainda a que os número de doutorados atinja 5% dos seus quadros de pessoal ou que garantam, pelo menos, 1 novo contrato de doutor até ao final de 2009, garantindo valores semelhantes às melhores práticas internacionais

Para além das empresas já citadas, integram o programa a Enabler informática, ISA, MNI, Mobicomp e Multicert, assim como empresas associadas à INOVA-RIA (Associação de Empresas para uma Rede de Inovação em Aveiro), como a Maisis, Micro I/O, Ponto C, Present Technologies, Rederia, Shortcut e Telbit.


Nota de Redacção: [2006-10-27 12:38]
A notícia foi actualizada com mais informação.

Notícias Relacionadas:

2006-10-27 - Acordo com CMU prevê criação de Instituto com dois pólos de funcionamento

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.