Um estudo da comScore mostra que, apesar da comunidade virtual Second Life ter sido criada nos Estados Unidos, mais de metade (61 por cento) dos utilizadores da plataforma são residentes na Europa, o que totaliza perto de 777 mil membros.



A análise contabilizou 209 mil utilizadores alemães na comunidade, ou seja, 16 por cento do total de membros registados. Por sua vez, os Estados Unidos contam com 207 mil utilizadores, seguido dos 104 mil da França e dos 72 mil do Reino Unido. Os dados relativos à participação portuguesa na plataforma não são revelados.



Os valores apresentados pela consultora mostram que cerca de 1,3 milhões de utilizadores acederam à comunidade durante o mês de Março deste ano, o que representa um aumento de 46 por cento face ao mês de Janeiro.



No entanto, as estatísticas da Linden Lab mostram números diferentes. De acordo com a criadora da plataforma, 26,8 por cento dos residentes activos do Second Life são norte-americanos, 13,5 por cento são alemães, 8,2 por cento franceses e 6,7 por cento britânicos.



O Second Life continua a vincar a sua posição online conquistando cada vez mais utilizadores. A adesão de empresas à comunidade também é comum e entre as que já apostaram num negócio virtual encontram-se nomes como IBM, Reuters, Sun Microsystems, Toyota, entre outros.




Notícias Relacionadas:

2007-04-03 - Universidade de Aveiro adquire ilha no Second Life e prepara presença orientada para a educação

2007-01-30 - Suécia marca presença no Second Life com a abertura de uma embaixada virtual

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.