Os primeiros contactos foram feitos durante a edição da 2017 da Web Summit e a implementação ficou concluída durante a edição deste ano da conferência de empreendorismo e tecnologia. A gestão da manutenção da Altice Arena é um dos mais recentes projetos da empresa portuguesa de Asset & Facilities Management NextBITT. E um dos mais emblemáticos.

“Em primeiro lugar, porque significa estarmos ligados a uma das melhores e maiores Arenas mundiais”, aponta Miguel Salgueiro. “Por outro lado, porque se trata de um projeto em que fomos chamados a gerir um ativo físico de grande dimensão, com uma dinâmica operacional quase diária e espetáculos de milhares de pessoas, onde nada pode falhar”, referiu o partner da NextBITT responsável pela área de desenvolvimento do negócio, em declarações ao SAPO TEK.

Orgulha-nos que a NextBITT seja uma peça importante deste “puzzle”, afirma Miguel Salgueiro, sobre o projeto com a Altice Arena

Nos últimos meses a empresa de gestão de edifícios e infraestruturas ganhou vários concursos, estando a implementar projetos na José de Mello Saúde (rede CUF), no Metro do Porto, na Navigator, na Prio e na Sonae, “entre outras grandes empresas nacionais e multinacionais”.

Internacionalmente as coisas também correm como previsto. Além da presença direta em Angola, há “algumas e interessantes frentes abertas”, através de projetos em Portugal com empresas multinacionais. É o caso da Heineken ou do Grupo Adeo (Aki e Leroy Merlin), contratos que têm o mercado português como piloto, mas cuja ideia é virem a ser depois usados noutras geografias.

Com cartas dadas em Portugal, tecnológica NextBITT prepara salto para a internacionalização
Com cartas dadas em Portugal, tecnológica NextBITT prepara salto para a internacionalização
Ver artigo

Outros projetos mais recentes, mas já adjudicados, como os do Feeport ou da Sonae, poderão igualmente vir a ser implementados futuramente em empresas do grupo fora de Portugal, acrescentou Miguel Salgueiro.

“Vemos a implementação da NextBITT noutros mercados com muita segurança, sobretudo porque é um processo alicerçado nos bons resultados dos projetos implementados em Portugal – não apenas através de subsidiárias locais de empresas e grupos multinacionais, mas também com empresas portuguesas com uma forte presença internacional”.

Vontade de prolongar bons resultados de 2018

Miguel Salgueiro classifica 2018 como um “ano fantástico”, dado o crescimento de 140% face ao volume de negócios do ano passado. “E até mais do que o crescimento, deu-nos especial orgulho estar na final de grandes concursos e sermos a empresa selecionada entre concorrentes que são players do top Gartner”. Por outro lado, o partner da NextBITT destaca também o reforço da posição da empresa no sector.

As expectativas para 2019 são bastante otimistas. “Prevemos um ano igualmente positivo, derivado de grandes contratos já em fase avançada das conversações, que certamente irão ter grande visibilidade, quer no mercado nacional, quer no mercado internacional”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.