A Google acaba de reforçar o portefólio com a compra de mais duas empresas: a Meebo e a Quickoffice, dois negócios anunciados já esta semana. Pela Meebo a empresa pagará qualquer coisa como 100 milhões de dólares, números não confirmados pela fabricante.



A empresa, a única para já a anunciar o negócio, assegura um serviço de mensagens instantâneas, mas o seu software também permite gerir a atividade do utilizador nas redes sociais. A Meebo explica o negócio com a Google como uma forma de crescer e poder prestar um melhor serviço aos seus clientes.



Para os analistas, por seu lado, a Meebo pode ser útil à Google para melhorar o Google Talk, o serviço de chat associado ao Gmail, ou o Google +, a rede social da Google, que até a data não conseguiu angariar grande popularidade.



O Quickoffice, por seu lado é uma aplicação de produtividade que permite criar, editar, sincronizar ou partilha documentos Word, Excel e restantes ferramentas da suite de produtividade da Microsoft, em ambientes móveis. Está disponível para iOS, Android e Symbian.



A sua aquisição pela Google surge numa altura em que se fala no lançamento de aplicações do Office - pela própria Microsoft - para Android, Windows Phone e iOS, depois do verão.



Outro aspeto importante na decisão da Google terá sido certamente o número de clientes do Quickoffice, que estará instalado em mais de 300 milhões de equipamentos, de acordo com os dados da fabricante.



Recorde-se ainda que já em 2010 a Google tinha adquirido um software desenhado para promover a interoperabilidade com o Office, o DocVerse, que permite trabalhar em colaboração na nuvem com as ferramentas do Office.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico




Cristina A. Ferreira

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.