A consideração é de José Correia, diretor-geral da HP, feita durante a apresentação de um conjunto alargado de produtos à imprensa, esta manhã, em Lisboa, depois de mencionar os dados e previsões da IDC para 2013.

A consultora estima uma queda em redor dos 20% para este ano, face ao ano passado, nas vendas de desktops e portáteis.

Na comparação com 2009, quando o mercado português ainda crescia, a descida é de 60%, sublinhou o responsável da HP. "Enquanto há cinco anos atrás se vendiam 1,8 milhões de computadores em Portugal, em 2013 estamos a falar de 600 mil".

Acrescentando-se os tablets, o comportamento do mercado inverte e passa a registar-se um crescimento de 13%, prevê a IDC.

Embora também apresente um comportamento negativo, o mercado profissional deverá cair menos do que o de consumo, com valores a rondarem os 15%. "Estamos num momento difícil, mas há setores que têm melhor desempenho. O mercado profissional é claramente o mercado com a melhor dinâmica neste momento".

AHP assume-se como líder em todas as categorias do segmento profissional, desde os desktops aos tablets. "Inclusive temos tido duas vezes melhor desempenho do que o mercado este ano", garante José Correia, que acredita que o último trimestre vai ser ainda de maior consolidação.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.