Em resultados não auditados relativos aos nove meses findos a 30 de Setembro de 2001, a Portugal Telecom divulgou hoje em comunicado oficial receitas consolidadas de exploração de 4.290 milhões de euros (860,067 milhões de contos), enquanto o EBITDA ascendeu a 1.557 milhões de euros (312,150 milhões de contos). O resultado líquido no semestre situou-se em 322 milhões de euros (64,555 milhões de contos), numa variação negativa de 8,1 por cento face a período homólogo de 2000.



A PT ressalva que os resultados apresentados foram preparados de acordo com os princípios contabilísticos portugueses e incluem os resultados da Telesp Celular Participações (TCP), na qual a PT detém actualmente um interesse económico de 41,23 por cento, consolidados integralmente. "Dado o nível do interesse económico na TCP, a PT considera que se torna útil para os investidores terem conhecimento dos resultados utilizando a consolidação proporcional da TCP. Este documento apresenta os resultados da PT utilizando ambos os métodos, apesar de serem comentados e analisados os resultados com base na consolidação proporcional", menciona a empresa no comunicado.



A PT Comunicações (PTC) continua a ser o negócio com maior contribuição para o universo PT com receitas de exploração a atingirem os 1.885 milhões de euros (377,908 milhões de contos), um aumento de 18,9 por cento em relação ao mesmo período de 2000. O EBITDA ascendeu a 755 milhões de euros (151,363 milhões de contos), representando uma margem EBITDA de 40,1 por cento.



Segundo o comunicado oficial, a PT Comunicações mantém uma quota de mercado de 93,5 por cento em termos de tráfego total originado. O número de acessos fixos principais ao serviço situou-se em 4,3 milhões. A utilização da rede fixa em minutos aumentou 9,5 por cento, equivalente a 11 minutos por acesso e por dia, enquanto que a taxa de penetração RDIS e de voice mail aumentou, respectivamente, para 18,1 por cento e 24,9 por cento.



Na PT Prime as receitas ascenderam a 197 milhões de euros (39,494 milhões de contos), representando um aumento de 29,8 por cento face ao valor registado nos três primeiros trimestres de 2000. O EBITDA situou-se nos 23 milhões de euros (4,611 milhões de contos). As vendas de serviços de Internet empresarial cresceram 159 por cento em relação aos primeiros nove meses de 2000 e os acessos em banda larga suportados pela rede ATM aumentaram 41,4 por cento.



Na área das comunicações móveis, a TMN adicionou à sua base de clientes 275 mil novos subscritores no terceiro trimestre e 683 mil nos primeiros nove meses de 2001. No terceiro trimestre, os clientes com assinatura representaram 18,6 por cento do total de novos clientes. No final de Setembro, o número de clientes totais ascendeu a 3,6 milhões, representando um acréscimo de 39,6 por cento face ao mesmo período de 2000.



Nos três primeiros trimestres de 2001, as receitas TMN subiram 34,7 por cento para 1.021 milhões de euros (204,692 milhões de contos), segundo o Grupo PT, devido ao forte aumento do número de clientes e à melhoria do ARPU que no terceiro trimestre ascendeu a 31,2 euros (6.455 escudos), um acréscimo de 2,8 por cento face ao registado no segundo trimestre. Os serviços de dados corresponderam a 5,8 por cento das receitas de prestação de serviços, o que compara com 3 por cento no mesmo período de 2000.



O EBITDA da TMN situou-se nos 386 milhões de euros (77,386 milhões de contos), um aumento de 37,2 por cento face a igual período do ano anterior e equivalente a uma margem EBITDA de 37,8 por cento no período.



PT Multimedia contribui com 29 milhões de euros para o EBIDTA do grupo


No grupo PT, a PT Multimedia (PTM) atingiu receitas consolidadas de 443,2 milhões de euros (88,853 milhões de contos) durante os primeiros nove meses deste ano, registando um crescimento de 22,4 por cento em relação aos valores observados em igual período de 2000. A contribuição da PT Multimédia para o EBITDA do Grupo PT foi positiva em 29 milhões de euros (5,813 milhões de contos), representativos de um crescimento de 7,4 por cento face aos valores registados até ao terceiro trimestre de 2000.



A TV Cabo obteve 198,9 milhões de euros de receita (39,875 milhões de contos), num crescimento de 42,9 por cento comparativamente aos primeiros nove meses de 2000, e as receitas dos negócios de media e audiovisuais da Lusomundo saldaram-se por 205,6 milhões de euros (41,219 milhões de contos).



O negócio da TV por subscrição reunia a 30 de Setembro passado 1,093 milhões de clientes, um aumento de 23,5 por cento em relação a igual período do ano anterior. Segundo a PTM, a taxa de penetração do serviço de televisão por cabo atingiu os 43,7 por cento no mesmo período.



As receitas operacionais da PT Multimedia.com (PTM.com) ascenderam a 40,1 milhões de euros (8,039 milhões de contos), um aumento de 34 por cento face a igual período de 2000. O EBITDA da PTM.com, continua negativo, situando-se desta vez nos 8,1 milhões de euros (1,623 milhões de contos), quando nos primeiros nove meses de 2000 registava 7,2 milhões de euros negativos (1,443 milhões de contos).



Na mesma empresa do Grupo PT, as receitas da prestação de serviços ISP situaram-se nos 33,4 milhões de euros (6,696 milhões de contos), o que face aos 24,9 milhões registados durante os primeiros nove meses de 2000, corresponde a um incremento de 34 por cento. As receitas relacionadas com a prestação de serviços nos negócios de portais situaram-se em 6,2 milhões de euros (1,242 milhões de contos), quando em igual período de 2000 se situaram nos 4,9 milhões de euros.



Os subscritores dos serviços de ISP ultrapassavam a 30 de Setembro os 584 mil, numa subida de 41 por cento face a período homólogo de 2000, e de 25 por cento face a 31 de Dezembro de 2000.



Segundo o comunicado da PTM.Com, o portal SAPO registou 146 milhões de páginas vistas em Setembro de 2001 (mais 52 milhões do que em Dezembro de 2000 e mais 172 por cento face a Setembro de 2000). Um resultado que pode ser reflexo do tráfego gerado pela cobertura noticiosa dos acontecimentos de 11 de Setembro e eventos subsequentes. O número médio mensal de visitantes únicos nos primeiros nove meses de 2001 situou-se nos 1,8 milhões.



Impresa regressa aos resultados negativos


Em sequência da apresentação de resultados financeiros a que todas as empresas cotadas em bolsa estão obrigadas trimestralmente, a Impresa divulgou oficialmente a partir de comunicado ter atingido receitas consolidadas de 42,9 milhões de contos (214,1 milhões de euros) durante os primeiros nove meses de 2001, representativas de uma descida de 11,75 por cento em relação às receitas realizadas em idêntico período de 2000, quando obteve um lucro de 117 mil euros.



O EBITDA consolidado atingiu um valor negativo de 2 milhões de contos (10,3 milhões de euros). Neste montante estão incluídos 775 mil contos (3,8 milhões de euros) de custos com indemnizações e 814 mil contos de provisões (4,1 milhões de euros) a grande maioria resultante dos processos de reestruturação.



Os prejuízos consolidados em Setembro atingiram os 5,6 milhões de contos (28,2 milhões de euros) e o passivo líquido remunerado em Setembro de 2001 cifrava-se em 23,8 milhões de contos (118 milhões de euros).



Notícias Relacionadas:

2001-09-13 - Receitas de exploração da PT crescem 27,7% no primeiro semestre

2001-04-30 - Primeiro trimestre positivo para a Sonae.com e PT, negativo para Impresa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.