Na segunda-feira, 1 de junho, a maior fabricante de chips do mundo afirmou que iria pagar 54 dólares por cada ação da Altera, perfazendo 16,7 mil milhões de dólares. Espera concluir o negócio nos próximos seis a nove meses.



As ações da Altera subiram mais de 40% desde o final de março, de acordo com uma análise da Cnet. A ascensão começou com os rumores de negociações entre as duas empresas, que agora se confirmaram.



"Juntando os nossos processadores ao hardware da Altera […] vamos conseguir fazer a próxima geração de soluções não apenas melhor, mas também capaz de fazer mais coisas", afirmou o CEO da Intel, Brian Krzanich, em comunicado.



A Intel desenvolve processadores que alimentam a maior parte dos computadores do mundo. A Altera, foca-se em chips "programáveis em campo", usados na indústria automóvel, aeroespacial e médica e caraterizados pela capacidade de serem programados para tarefas específicas e como tal mais fléxiveis que os da Intel para as necessidades de alguns segmentos de mercado.



A Intel vai usar a tecnologia da Altera na sua linha de processadores Xeon (para servidores) e conta transformar a companhia numa das suas unidades de negócio.


O negócio volta a mostrar que as fabricantes de processadores estão a investir forte para se posicionarem para o futuro, onde a Internet das Coisas (IoT) assume um papel determinante. A compra da Broadcom pela Avago por 37 mil milhões de dólares, no maior negócio da história do sector, e a compra pela NXP da Freescale por 11,8 mil milhões de dólares, ambas concretizadas já este ano, são outras movimentações no mesmo sentido.

Nota de redação: Foi corrigida uma informação na notícia relativa ao negócio entre a NXP e da Freescale.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.