Os resultados financeiros da Intel no quarto trimestre de 2009 voltam a dar sinais de que poderá estar ultrapassada a pior fase da crise que afectou também as Tecnologias da Informação. A gigante de semicondutores multiplicou por 10 os resultados liquidos face ao ano anterior, registando lucros de 2,28 mil milhões de dólares (cerca de 1,6 mil milhões de euros), e reforçou a margem bruta.

Os resultados ontem apresentados ao final do dia superam as previsões dos analistas e trouxeram uma nova lufada de optimismo ao mercado.

Para além da multiplicação de lucros, as receitas aumentaram 29% para os 10,6 mil milhões de dólares (cerca de 7,6 mil milhões de euros), depois da Intel ter apresentado receitas no terceiro trimestre de 9,7 mil milhões de dólares e previsões de 10,5 mil milhões para os últimos três meses do ano, tradicionalmente mais fortes nas vendas de equipamentos informáticos.

A margem bruta atingiu valores recordes, fixando-se nos 65%, num crescimento de 12 pontos face ao mesmo período de 2008.

Os resultados do quarto trimestre de 2009 incluem o valor pago à AMD para resolver o diferendo que opunha as duas empresas e que tem causado tantos problemas a nível de regulação da concorrência. Este acordo custou à Intel 1,25 mil milhões de dólares, tendo sido realizado em Novembro.

Apesar destes resultados positivos no quarto trimestre, a análise do ano reflecte ainda os sinais da contenção das empresas e dos particulares no consumo. Os resultados da empresa apresentaram uma quebra de 7% face a 2008, fixando-se nos 35,1 mil milhões de euros, com os lucros a cair 17% para os 4,4 mil milhões de dólares.

Para o primeiro trimestre de 2010 a Intel já avançou com uma estimativa de resultados entre os 9,3 mil e os 10,1 mil milhões de dólares. Neste período a margem bruta deve fixar-se entre 59% a 63%.

Nota de Redacção: Foram corrigidas gralhas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.