As startups Placeme, Luvotels e  Sparkl foram as escolhidas para receber investimento na sequência do programa internacional de aceleração  de três meses para startups de base tecnológica, Lisbon Challenge.

Além do investimento, por parte da Red Angels, da Bright Pixel e da LC Ventures,  de 75 mil euros para a Placeme e dos 50 mil euros que a Bright Pixel e LC Ventures vão investir na Luvotels e na Sparkl, as três equipas também receberam uma oferta de incubação de seis meses junto da Beta-i.

A City Check, a Monitor Fish, a Parkio, a TigerTime e a WineMNT, vão também continuar a trabalhar nos seus pilotos e a desenvolver o seu negócio.

O anúncio foi feito esta quarta-feira, no “Investors Day”, que marcou o fim a fase de  aceleração da edição de 2017 do Lisbon Challenge.

As startups selecionadas receberam 10 mil euros em troca de 1,5% do seu capital e tiveram 10 semanas de sessões de treino de pitches, networking e workshops, assim como a possibilidade de privarem com 200 mentores e investidores.

A migração do formato do programa tornou o processo “mais complexo, mas também nos permite um envolvimento muito maior com as startups que se juntam ao programa, para além de assegurar a continuidade da relação, mesmo depois do final da fase de aceleração”, defendeu Pedro Rocha Vieira, CEO e co-fundador da Beta-i.

Esta foi a sétima edição do Lisbon Challenge e, depois de quatro anos de vida, o programa já contou com a participação de 185 startups e de 28 países diferentes.

No total, segundo a Beta-i, as empresas receberam cerca de 54 milhões de euros em investimento e empresas como a Uniplaces, Infraspeak e Unbabel também passaram por este acelerador que foi recentemente considerado o segundo mais dinâmico da Europa pela Fundacity.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.