A Microsoft fez saber que não irá recorrer da decisão do Tribunal Europeu de Primeira Instância quanto à aplicação imediata das sanções impostas pela Comissão Europeia em Março de 2004. A gigante da informática vai, assim, disponibilizar uma versão do Windows sem o software Windows Media Player e partilhar informação que possibilite uma melhor comunicação entre os produtos da concorrência e o seu sistema operativo.



"A Microsoft decidiu não exercer o seu direito a apelar da decisão do Tribunal de Primeira Instância de 22 de Dezembro de 2004", indicou num comunicado, citado pela Reuters, acrescentando que o objectivo neste momento trabalhar conjuntamente com a Comissão no sentido de respeitar as medidas o mais rapidamente possível.



Segundo a fabricante, as especificações para uma melhor comunicação entre os produtos da concorrência e o seu sistema operativo já foram disponibilizadas enquanto a edição europeia do Windows sem Media Player estará disponível dentro de poucas semanas.



A multinacional dispunha de dois meses para apresentar recurso do auto judicial datado de 27 de Dezembro mas prefere, ao que tudo indica, concentrar-se no caso principal, onde contesta a acusação e consequente decisão por abuso de posição dominante da Comissão Europeia.



"Continuamos muito optimistas conforme avança o processo", salientou a Microsoft. "O facto do auto de Dezembro reconhecer que alguns dos nossos argumentos poderiam servir de base à anulação da decisão da Comissão anima-nos".



Notícias Relacionadas:

2004-12-22 - Tribunal decide a favor da aplicação imediata de sanções à Microsoft

2004-06-25 - Microsoft apela a Tribunal Europeu tentando suspender as sanções impostas pela UE

2004-03-24 - Comissão Europeia multa Microsoft em 497 milhões de euros

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.