A Microsoft revelou ontem, terça-feira, pela primeira vez durante quanto tempo é que pretende oferecer aos seus clientes suporte para produtos de software, informou a C|NET. Com a nova política de suporte, os clientes da companhia passam a dispor de princípios claros pelos quais poderão determinar durante quanto tempo é que a Microsoft irá dar suporte aos seus produtos.



O prazo de assistência de alguns dos produtos da Microsoft foi, em alguns casos, bastante alargado. Os produtos empresariais e de desenvolvimento de software irão ser suportados durante cinco anos, de acordo com o plano. Por um preço adicional, as companhias poderão solicitar ainda um período adicional de suporte equivalente a dois anos,



A duração de cinco anos também se aplica aos produtos para consumidores e ao software multimédia. Todos os produtos terão direito a suporte online e de auto-ajuda durante pelo menos oito anos.



Nos termos da anterior política da Microsoft, a companhia apenas precisava de dar aos clientes um aviso de seis meses antes de abandonar o suporte de um produto, o que segundo alguns consumidores, não era um prazo suficiente.



Para a Microsoft, a maior alteração consistiu na criação de um sistema diferente de métrica para disponibilizar informação sobre o suporte de produtos. De acordo com as normas anteriores, a companhia baseava a sua informação na versão do software.



Mas, dado que as datas de lançamento de novos produtos podem atrasar-se, a fraca comunicação existente dificultava o planeamento do momento para remover o software existente ou para adoptar versões mais recentes por parte das empresas.



A mudança para o novo programa de licenciamento de software fez com que a Microsoft tenha descoberto que vários clientes continuavam a utilizar produtos muito para além do período em que a companhia os suportava. A maioria das empresas que utilizavam o Office, por exemplo, mantinham o produto em serviço durante pelo menos quatro anos ou mais, de acordo com a empresa de estudos de mercado Gartner.



Alguns ciclos de vida de produtos produtos planeados pela Microsoft não coincidam com a utilização dos clientes. A gigante de software tinha planeado abandonar o suporte comum para o Windows 2000 em Março do próximo ano. Mas, a maioria das empresas encontram-se este ano no meio do processo de instalar o Windows 2000.



A Gartner prevê que mais de 40 por cento dos PCs vendidos a empresas durante este ano teriam o Windows 2000 instalado contra 16 por cento para o Windows XP. Nos termos do plano revisto, a Microsoft irá continuar a disponibilizar suporte comum para o Windows 2000 até Março de 2005, existindo ainda a opção de alargamento até Março de 2007.



A Microsoft pretende deixar dentro em breve de suportar vários outros produtos que a companhia considera ser software antigo. O suporte comum do Office 97 terminou no dia 31 de Agosto de 2001 e o período alargado terminou a 20 de Fevereiro de 2002. A companhia irá deixar de disponibilizar suporte comum para o Office 2000 em Junho de 2004 e a opção de prolongamento terminará dois anos mais tarde.



Por outro lado, a Microsoft irá oferecer suporte comum para o Office XP até Junho de 2006 e suporte prolongado durante mais dois anos. Evidenciando a separação entre produtos para empresas e para consumidores, o Windows XP possui diferentes datas de fim de suporte. Assim, a empresa pretende acabar com todo o tipo de assistência normal para o Windows XP Home em 31 de Dezembro de 2006. O suporte alargado estará disponível por mais dois anos para a edição profissional da plataforma.



Um dos mais importantes aspectos do período de suporte comum é o lançamento de fixes de bugs utilizados para corrigir problemas nos produtos. As empresas, em particular, dependem destas actualizações para manter o seu software a funcionar sem problemas. A Microsoft vai oferecer fixes de segurança durante o período alargado de suporte ou até sete anos após a data de lançamento de um produto.



A gigante de software cobra às empresas pelos fixes lançados depois do fim do período do suporte comum, que no caso do Windows NT 4 Server corresponde ao dia 31 de Dezembro deste ano. Mas, como parte do novo programa, a empresa irá continuar a distribuir gratuitamente esses fixes até ao final de 2003. O Windows NT 4 foi descontinuado há quatro anos atrás.



A nova política não afecta os produtos para os quais a Microsoft já abandonou o suporte, como o Windows 95. Os fabricantes de PCs deixaram de vender este sistema operativo no dia 31 de Dezembro de 2000.



Notícias Relacionadas:

2001-10-09 - Novas regras para licenciamento de programas Microsoft

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.