Apenas poucos dias após a passagem para 2003, a Microsoft acha
que 2004
será um ano "complicado". Lidando com uma economia precária e uma
crescente
competição do Linux no mercado dos servidores, a empresa deverá sentir
algumas dificuldades em melhorar os seus resultados em comparação com
este
ano, de acordo com John Connors, director financeiro da Microsoft.

Connors anunciou também os resultados relativos ao segundo trimestre,
os
primeiros dividendos da Microsoft e um stock split - divisão
das
acções da companhia por uma maior quantidade -, referindo-se às
alterações
que a empresa irá enfrentar no próximo ano fiscal, que começa em Julho.
Em
relação a este ano, Connors comentou que "o investimento empresarial em
tecnologias de informação continuou a ser tépido".
"Será difícl atingir resultados comparáveis com 2003 no próximo ano.
Seria bom
se a economia mundial melhorasse, mas vai ser complicado", acrescentou.

Este
responsável também diminuiu as previsões de receitas para o ano fiscal
de
2003 que apresentou no passado trimestre para um montante entre 31,9 e
32,1
mil milhões de dólares.

Os primeiros dividendos da Microsoft assentam numa reserva em dinheiro
no
valor de 43 mil milhões de dólares. Os dividendos anuais irão pagar 16
cêntimos por acção, ou cerca de 850 milhões de dólares. O stock
split

anunciado por Connors irá atribuir duas acções por cada um, o que fará
com
que a companhia fique 10,8 mil milhões de acções comuns. Depois da
divisão,
os dividendos serão de oito cêntimos por acção.

Apesar do fraco clima de gastos por parte dos consumidores e das
empresas, a
Microsoft conseguiu obter um desempenho estável, tendo reportado um
aumento
de 11 por cento do rendimento operacional ou líquido para os 2,52 mil
milhões
de dólares para o período que terminou a 31 de Dezembro com base em
receitas
que cresceram 10 por cento para os 8,54 mil milhões de dólares. Os
ganhos por
acção diluída foram de 47 cêntimos, em comparação com os anteriores 41
cêntimos.

O software para servidores da empresa assistiu a um aumento das
receitas de 12 por cento durante o segundo trimestre, situando-se em
1,76 mil
milhões de dólares. O segmento de software de produtivididade,
liderado pelo Office, cresceu oito por cento, para os 2,29 mil milhões
de
dólares. As receitas geradas pela MSN foram de 449 milhões de dólares,
representando um crescimento de 23 por cento, sem contar com o site Expedia.

A divisão doméstica e de entretenimento, incluindo a Xbox, reportou uma subida
de 40
por cento, situando-se em 1,33 mil milhões de dólares, em grande parte
devido
às vendas dos jogos para a consola. A Microsoft vendeu em todo o mundo
oito
milhões de unidades da sua máquina de divertimento e esperar que as
vendas se
situem um pouco acima dos 9 milhões no final do ano fiscal. A unidade
de
negócios relativa aos dispositivos móveis e ao Windows CE também teve
um bom
desempenho, com receitas de 22 milhões de dólares, uma subida de 35 por
cento.

Notícias Relacionadas:
2002-07-19 - Microsoft e Sun apresentam lucro no último trimestre
fiscal

2002-04-19 - IBM,
Microsoft, Sun e Compaq divulgam resultados financeiros do
trimestre

2002-01-18 - Nortel,
Microsoft e IBM apresentam resultados relativos ao último trimestre de
2001

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.