No âmbito da 23ª Cimeira Luso-Espanhola, é hoje inaugurado em Braga, pelos ministros José Mariano Gago e, a sua homóloga de Espanha, Mercedes Cabrera Calvo-Sotelo, o Instituto Internacional Ibérico de Nanotecnologia.



A infra-estrutura é resultado do memorando de entendimento que os ministérios da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal e o da Educação e Ciência de Espanha assinaram a 19 de Novembro de 2005. Este projecto tem como objectivo, para além dos trabalhos de investigação conjunta entre os dois países - através de várias oficinas, laboratórios, biblioteca, auditórios e um espaço para instalar visitantes de curta duração -, reunir os melhores investigadores mundiais na área das nanotecnologia.



O instituto, que se situa junto ao Campus de Gualtar da Universidade do Minho, conta com um investimento inicial de 30 milhões de euros, valor que também servirá de referência para o orçamento anual no futuro. As instalações têm perto de 14 mil metros de área laboratorial, num edifício de cerca de 20 mil metros quadrados, onde deverá ser implementado um centro de ciência viva para demonstrar os projectos ali executados à população.



No âmbito do projecto, está prevista a contratação de 200 investigadores de Portugal e Espanha, mais 300 pessoas, entre técnicos e funcionários, informa a Lusa.



Pela altura em que era anunciada a localização do Instituto, no ano passado, o MCTES explicava que o seria "aberto à participação de instituições e de especialistas de todo o mundo, visando constituir-se como pólo internacional de excelência". Na mesma ocasião, o ministério avançava que José Rivas, da Universidade de Santiago de Compostela, seria o primeiro director do laboratório.



Notícias Relacionadas:

2006-11-17 - Laboratório de investigação que une Portugal e Espanha vai localizar-se em Braga

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.