Pela primeira vez os consumidores norte-americanos gastaram mais dinheiro a comprar roupa do que artigos de informática em lojas online, mostra um estudo da Shop.org.



A comercialização de roupa, calçado e acessórios através da Internet chegou aos 18,3 mil milhões de euros no ano passado, enquanto as vendas de computadores geraram 17,2 mil milhões de dólares.



A possibilidade de devolver os artigos comprados sem ter de pagar taxas de envio, as promoções e a possibilidade de reserva de produtos, têm sido algumas das ferramentas adoptadas pelas empresas online para cativar clientes.



A aposta tem sido bem sucedida e estima-se que durante este ano 10 por cento das vendas totais de roupa sejam feitas online, o que representa uma mudança nos costumes dos utilizadores, diz a divisão da Federação Nacional de Retalho dos Estados Unidos.



Porém, actualmente, o comércio de roupa online representa apenas seis por cento do total de vendas realizadas.



Em 2006 as vendas através da Internet aumentaram 25 por cento gerando receitas na ordem dos 219,9 mil milhões de dólares. Se for excluído o sector de turismo, o aumento do comércio electrónico fixou-se nos 29 por cento atingindo os 146,5 mil milhões de dólares.



O mesmo estudo dá algumas previsões quanto à evolução do e-commerce em 2007. De acordo com a Shop.org, as vendas online vão aumentar em todos os sectores, à excepção do segmento de viagens que irá registar algum abrandamento.



Tendo em conta todos os sectores, os consumidores vão gastar cerca de 259,1 mil milhões de dólares em compras na Internet, ou seja, mais 29 por cento do que no ano passado. Pondo de parte o segmento das viagens, o crescimento vai ser de 19 por cento, o que dará origem a receitas na ordem dos 174,5 mil milhões de dólares.



Notícias Relacionadas:

2007-04-11 - Quatro quintos dos internautas portugueses já compraram na Internet

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.