Uma juíza norte-americana decidiu que o processo iniciado pela NCR contra a Palm e a Handspring não era válido. Esta decisão anula as pretensões da NCR de receber indemnização por alegada violação de patentes registadas no desenvolvimento de PDAs por parte das duas companhias líderes deste mercado.



A NCR, que não tem actualmente nenhum computador de bolso no seu portfólio de produtos, concentrando-se em soluções de armazenamento de dados para empresas, iniciou este processo em Março de 2001. Na base desta acção judicial está a alegação de que o desenvolvimento de PDAs pela Palm e a Handspring violava algumas patentes registadas em 1987. Essas patentes reservavam para a NCR os direitos de criação de um dispositivo ligado a uma docking station.



Num julgamento sumário realizado na passada quinta feira, a Juíza Mary Pat Thynge, do Tribunal distrital de Delaware, afirmou num documento que nenhuma das companhias que comercializa PDAs violou as patentes registadas pela NCR.



Em comunicado, a NCR defende agora que poderá recorrer da decisão, mostrando-se confiante de que o seu ponto de vista poderá prevalecer

Notícias Relacionadas:

2001-03-16 - NCR processa Palm e Handspring por utilização abusiva de patentes

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.