Os resultados do segundo trimestre fiscal da Nokia não foram muito positivos, tendo a empresa registado uma quera de 5 por cento nas receitas, para 0s 6,6 mil milhões de euros, justificado por uma descida no total de equipamentos vendidos que teve impacto na quota de mercado, descendo para 31 por cento.



As medidas postas em marcha pela administração no final do primeiro trimestre, que tentavam impedir a derrapagem, já começam a ter efeito, explica a Nokia em comunicado. "No segundo trimestre, as nossas opções de preço foram bem sucedidas na estabilização da nossa quota de mercado. vamos continuar a usar a política de preço selectivamente e reforçar a competitividade do nosso portfólio de produtos para melhorar a nossa quota de mercado", explica Jorma Ollila, presidente e director executivo da empresa.



O negócio de terminais móveis foi o único que apresentou quebras de vendas, com a área de multimédia e redes a subir 24 e 6 por cento, respectivamente, mas continua a ser de longe o de maior impacto na empresa, com receitas globais de 4,1 mil milhões de euros.



Os mercados emergentes continuaram a representar o principal terreno de crescimento da Nokia, com a Europa a registar poucos desenvolvimentos positivos e os Estados Unidos a "manterem-se um desafio", explica-se em comunicado. A empresa finlandesa afirma que com o seu portfólio de produtos de gama baixa assumiu a liderança na América Latina e na China e que no final deste trimestre a sua quota começou a estabilizar na Europa de Leste.



Jorma Ollila avisa ainda que o facto da empresa usar a política de preço para estabilizar a quota de mercado poderá pressionar a rentabilidade. "Esperamos que o impacto destes ajustamentos de preço na rentabilidade mais do que compensará as margens mais elevadas nos novos produtos enquanto os produtos agora disponíveis representarão a maioria das nossas vendas na segunda metade deste ano", adianta.



Para o próximo trimestre a Nokia espera que as vendas se situem entre os 6,6 e os 6,8 mil milhões de euros, o que ainda representará uma quebra em relação ao período homólogo de 2003, quando o valor se situou nos 6,9 mil milhões.

Notícias Relacionadas:

2004-04-16 - Nokia continua a perder quota de mercado global no segundo trimestre

2004-01-22 - Resultados líquidos da Nokia melhoram 6% em 2003

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.