A Optimus pode ter que vender a participação que tem na rede de fibra ótica detida em parceria com a Vodafone, sendo este um dos compromissos que a operadora da Sonaecom e a Zon terão assumido junto da Autoridade da Concorrência (AdC).

A presença que a Zon tem nas infraestruturas do cabo em Portugal vai obrigar à venda da participação da Optimus na rede construída para as cidades de Lisboa e Porto, num projeto que tinha como objetivo cablar 500 mil casas, e ao qual a Vodafone se juntou posteriormente.

A lista com os restantes remédios que tentam assegurar os níveis de concorrência exigidos no mercado das telecomunicações em Portugal já terá sido entregue aos contra-interessados, grupo de empresas que são direta ou indiretamente afetadas pelo negócio entre a Optimus e a Zon.

Segundo avança o Económico, os pareceres dos contra-interessados aos compromissos das operadoras em vias de fusão têm que ser entregues até à próxima quarta-feira, 10 de julho.

A confirmar-se, este é o primeiro compromisso assumido pela Optimus e pela Zon conhecido publicamente. Como o TeK já tinha dado conta, as duas empresas formularam um conjunto de compromissos em antecipação às exigências da AdC.

O presidente do regulador da concorrência, Manuel Sebastião, prometeu para breve uma tomada de decisão sobre a fusão das duas operadoras de telecomunicações.

A ERC e a Anacom já se mostraram a favor do negócio.

Nota de redação: foi corrigida uma gralha no texto


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.