A plataforma é da responsabilidade da Hausfeld, uma empresa de advogados norte-americana especializada em ações populares, com vários casos mediáticos no currículo.

Tem como objetivo ajudar empresas e cidadãos na região, que se consideram afetados pelas alegadas políticas anticoncorrencais da Google, a verificar se as queixas têm fundamento legal.

Esta Google Redress & Integrity Platform (GRIP) tem como referência os pontos identificados no processo de infração levantado pela Comissão Europeia, que lista um conjunto de acusações à empresa relacionadas com abuso de posição dominante.

A gigante das pesquisas respondeu no final de agosto à Comissão Europeia, tentando refutar todas as acusações e considerando que as acusações europeias se baseiam em pressupostos incorretos. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.