Afirmou-se primeiro no mercado com o Wizi Location um produto que, tal como o novo Radar, junta as tecnologias de geoloalização à lógica das redes sociais. Em 2012 a Wizi, estreou a nova oferta, mantendo uma lógica de distribuição via operador de telecomunicações, mas adicionando-lhe o claro propósito de internacionalização e as condições para alcançar esse objetivo, como explica ao TeK Paulo Dimas, CEO da empresa.



Enquanto o primeiro produto da empresa portuguesa, o Wizi Location, estava centrado na partilha de determinada localização num mapa, o Radar evoluiu para uma lógica de integração dos contactos do utilizador em diversas redes sociais. Este universo de amigos é mapeado e permite partilhar e receber informação sobre quem está em determinado local, como um restaurante, um bar ou um café.


Outra diferença entre os dois produtos está no facto de o Radar ter sido desenvolvido de raiz para uma utilização em smartphones ou em feature phones (Radar SMS), alargando o universo potencial de utilizadores que podem ter acesso à aplicação. Como explica Paulo Dimas, este foi um passo essencial para garantir o interesse no produto por parte de operadores em países emergentes, onde a penetração de smartphones ainda é baixa e onde deverá crescer lentamente ao longo dos próximos anos.


Tirando partido dessa versatilidade a aplicação estreou-se a nível mundial no Bangladesh. Nos últimos meses a empresa fechou também um acordo no Brasil, com a Vivo, que está a ultimar o lançamento da oferta ao cliente. Voltou já ao sudoeste asiático para procurar novas oportunidades.


A Indonésia é um dos principais mercados-alvo neste momento. Combina uma elevada penetração de telemóveis com uma taxa muito elevada de utilização de redes sociais, o que potencia o interesse por serviços como o Radar, defende Paulo Dimas.


A região asiática será a prioridade da empresa no que se refere à internacionalização, ao longo do próximo ano. A Wizi quer também potenciar a ligação à Vodafone e explorar a oportunidade de levar a aplicação a outras subsidiárias do grupo. O Radar está já integrado na oferta da Vodafone Portugal desde meados do ano passado (Vodafone Radar).


Para suportar este processo de internacionalização a empresa portuguesa está neste momento numa ronda de financiamento, onde deverá angariar um novo investimento de capital da Portugal Ventures. A capital de risco já apoiou o projeto numa fase anterior.


A aplicação que centra o negócio da Wizi também está em processo de evolução. O lançamento da versão 2.0 deste Radar ficará disponível no primeiro trimestre do próximo ano. A nova versão caminhará para uma diversificação ainda maior das fontes de localização suportadas e para a integração de redes sociais que não têm geolocalização, como o LinkedIN.



Por agora, o Radar integra redes sociais como o Facebook, Twitter, Foursquare ou, mais recentemente, o Instagram e está disponível através de aplicações para iOS e Android, customizadas para as redes dos operadores que oferecem o serviço.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.