Os dados do SIBS Analytics  são relativos à semana de 18 a 24 de maio, com o início da segunda fase de desconfinamento em Portugal,  e mostram uma maior frequência de compra em loja, que aumentou 12%, a segunda maior subida desde o início do desconfinamento. Há também alterações nas tendências de compra por setor, e as áreas de alimentação e farmácia continuam a perder preponderância perante a reabertura gradual da economia, atingindo, na última semana, "um peso acumulado de 53% em todas as compras físicas na Rede Multibanco em comparação com os 47% representados por todos os outros setores", refere a SIBS.

"Os hábitos de consumo dos portugueses acentuaram as tendências registadas desde o início do processo de desconfinamento, com o número médio de compras físicas a subir oito pontos face à semana anterior, o que representa um crescimento de 12%, a segunda maior subida desde o inicio do desconfinamento, voltando a aproximar-se da média antes do ínício da pandemia", refere a entidade que gere a rede Multibanco, que indica que "a média de compras em loja está agora num valor que equivale a três quartos da média anterior ao primeiro caso de infeção registado em Portugal".

A SIBS regista ainda "um novo recorde de utilização do serviço MB WAY nas compras na Rede MULTIBANCO desde que foi registado o primeiro caso do novo Coronavírus (COVID-19) em Portugal: na semana em análise, de 18 a 24 de maio, a média de compras em loja através do MB WAY ficou 70% acima da média anterior ao início da pandemia". A utilização do MB WAY nas compras físicas registou a oitava semana consecutiva de aumento e subiu 29% em comparação com a semana anterior.

Em termos de sistribuição por sectores, o maior crescimento face ao período antes da pandemia continua a ser a área da Restauração, Food Delivery e Take Away, com um aumento de 59%. Também o Entretenimento, Cultura e Subscrições registou um aumento de 39% e Comércio Alimentar & Retalho uma subida de 26%.

A transformação progressiva dos hábitos de consumo dos portugueses denota-se igualmente somando estes três setores às Farmácias & Parafarmácias, Perfumaria & Cosmética, Jogos & Brinquedos e Decoração & Artigos para o Lar: pela primeira vez desde que foi decretado o Estado de Emergência em Portugal, o peso acumulado  destes setores representa menos de metade das compras online realizadas pelos portugueses, sendo ainda assim de realçar a maior dispersão por diferentes setores de atividade nas compras online face às compras físicas.

O valor médio gasto por cada compra na Rede Multibanco está a descer, pela segunda semana consecutiva (-2%) , passando de 38,6 euros para 37,8 euros. Já nas compras online a tendência é inversa: o valor médio subiu 2,8% para os 40,2 euros, face aos 39,1 euros da semana anterior.

Mesmo assim a SIBS diz que nas compras físicas e online, os valores médios por compra continuam acima da média do período antes da pandemia: no canal físico, o valor é 8,9% superior e no online é 7,2% maior.

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com mais informação

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.