Um estudo divulgado ontem revela que os utilizadores de Internet masculinos preferem as notícias, os mercados, o desporto e a pornografia, enquanto as mulheres dão mais atenção aos conteúdos que as possam guiar em áreas como a religião e a saúde, revela a Pew Internet e American Life Project.




Cerca de 21 por cento dos homens confessa aceder a conteúdos pornográficos, contra 5 por cento de mulhers. Por outro lado, 74 por cento das mulheres afirma procurar conteúdos médicos ou de saúde, assunto que apenas interessa a 58 por cento dos homens. No que se refere aos conteúdos religiosos 34 por cento das mulheres procuram-nos, enquanto apenas 25 por cento dos homens o fazem, detalha o estudo.




A Pew Internet diz ainda que os homens passam mais tempo online do que as mulheres (44 por cento contra 39 por cento) e que os utilizadores masculinos usufruem em maior número de ligações de banda larga, que lhes permitem ter uma experiência de utilização mais rica. Isto porque, setenta e oito por cento dos homens dispõem no trabalho de ligações de banda larga, enquanto apenas 69 por cento das mulheres têm o mesmo tipo de ligação.




Talvez por isso 70 por cento dos inquiridos masculinos admitam que vão à Internet para passar o tempo, ouvindo música, visualizando conteúdos digitais pagos ou usando a sua webcam, contra 63 por cento das mulheres.




Contudo, são as mulhers quem mais usa o email e quem mais frequenta redes de amigos ou família, isto embora ambos os sexos encarem a Internet como ferramenta de comunicação e fonte de informação.




Em termos gerais o estudo revela que a percentagem de homens e mulheres que acede à rede é idêntica, apontando para uma percentagem de 68 por cento entre os homens e 66 por cento entre as mulheres.



Notícias Relacionadas:

2005-04-02 - Internautas portugueses elegem notícias como principal tema de interesse online

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.