O grupo Portugal Telecom anunciou hoje que pretende reforçar a sua presença em África para o que irá criar uma unidade dedicada à gestão de participações naquele continente e analisar novas oportunidades de investimento.



De acordo com Carlos Vasconcellos Cruz, administrador executivo da SGPS e responsável pela PT Investimentos Internacionais, o grupo irá concentrar os seus esforços na região da África subsariana, com especial destaque para Angola, embora admita analisar hipóteses de investimento noutras geografias africanas.



"Numa primeira fase vamos consolidar as várias operações", detalhou o responsável. A par com a reorganização dos negócios existentes, que poderá implicar alterações nas estruturas de participações, o grupo pretende analisar novas oportunidades de investimento. Neste âmbito serão acompanhados os processos de privatização em curso, admitiu Carlos Vasconcellos Cruz.



O investimento para suportar a reformulação da estratégia no continente africano não foi quantificado. "O investimento final irá depender do tipo de entendimento com os parceiros" para a reorganizar a estrutura de participações do ponto de vista orgânico, detalhou o mesmo responsável em conferência de imprensa.



Carlos Vasconcellos Cruz lembrou ainda que a generalidade dos mercados africanos tem uma penetração nas comunicações móveis inferior a 10 por cento, para explicar o elevado potencial de crescimento. Remetendo para várias análises o responsável previu ainda que na maioria dos mercados o fixo não chegue sequer a tornar-se relevante o que deve acelerar o desenvolvimento do segmento móvel, como primeira opção nas comunicações.



Em Angola, principal mercado alvo da PT em África, a operadora portuguesa tem hoje uma oferta no fixo, móvel e pay TV e recentemente assinou um acordo com o Governo para desenvolver um backbone nacional, onde estará como parceiro tecnológico e do projecto. Neste mercado o grupo está ainda a negociar activos na área dos dados corporativos e ISPs.



De acordo com as previsões do grupo, sustentadas nas previsões de mercado, entre 2003 e 2010 a região Ásia/Pacífico será a zona do globo com maior potencial de crescimento na área móvel, seguindo-se a região da América do norte e África.



Também de acordo com uma previsão de analistas (Pyramid Research) os países africanos de língua portuguesa deverão até 2008 somar 5 mil milhões de clientes móveis, para mil milhões de dólares de receitas.



Miguel Horta e Costa abriu a conversa com os jornalistas para dizer que o grupo PT pretende diversificar os seus esforços de investimentos, hoje muito focados no Brasil, acrescentando que em África o grupo tem já "hoje uma presença importante relativamente mal conhecida", que agora pretende potenciar.



De sublinhar que actualmente um terço do negócio do grupo PT é internacional. Em 2004 os negócios em África permitiram somar uma facturação de 612 milhões de euros. A PT garante que o seu projecto foi desenhado a nível individual mas não exclui a possibilidade de novas parcerias com a Telefónica, como tem em Marrocos.



Notícias Relacionadas:

2005-01-14 - Acordo entre PT e ZTE aumenta oportunidades de negócio na China

2003-10-30 - Horta e Costa sublinha nova visão da PT e destaca integração de produtos e serviços

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.