Um tribunal da capital sul-coreana decidiu a favor da Samsung depois de a empresa ter sido acusada por cerca de 1.900 ex-utilizadores do explosivo Galaxy Note 7, que alegaram ter sofrido prejuízos na ordem dos 822 mil dólares devido às recolhas de segurança levadas a cabo pela Samsung.

A decisão do tribunal foi justificada com o facto de que a Samsung terá feito tudo o que estava ao seu alcance para tornar o processo de recolha o mais fácil possível para os consumidores, permitindo ainda que estes ficassem com os acessórios promocionais que eram vendidos no pack do Note 7 e que, só por si, já serviam como forma de compensação pelos incómodos causados.

Esta decisão coloca assim um ponto final a um caso insólito que deixou a empresa líder do mercado dos smartphones numa posição complicada perante todo o mundo. Os problemas com as baterias da primeira versão dos Note 7 levaram a empresa a recolher os equipamentos e, numa segunda versão que supostamente já estaria arranjada, o problema tornou a aparecer, fazendo com que o smartphone fosse retirado do mercado.

A causa das explosões estava ligada a dois problemas diferentes nas baterias utilizadas nos Galaxy Note 7 e a empresa assumiu total responsabilidade pelo erro. Atualmente o phablet está à venda na Coreia do Sul, recondicionado, como Galaxy Note FE, uma edição especial para os fãs da marca que inclui uma bateria de menores dimensões.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.