O Instituto Nacional de Estatística – INE – divulgou hoje os resultados do Inquérito às Actividades Informáticas e Conexas relativo ao ano de 2000 – realizado a uma amostra de 2.998 empresas localizadas no Continente –, onde sobressai o facto de os serviços representarem 65 por cento do volume de negócios das empresas de informática, seguido depois pelo comércio de software com 21,5 por cento e de hardware com 10,4 por cento.



Em relação à repartição do volume de negócios por serviço prestado a variante que mais percentagem obteve foi o desenvolvimento e venda de software personalizado com 18,2 por cento, surgindo logo de seguida o desenvolvimento e venda de software em pacotes com 11,9 por cento e os serviços de manutenção de sistemas com 10,3 por cento. No final da lista ficaram os serviços de aluguer de equipamento informático, sem operador, que alcançaram o valor mais baixo com apenas 0,3 por cento do total.



Quanto à repartição dos empregados nas empresas, a área do pessoal técnico, com uma percentagem de 48,5 por cento, encontrava-se em 2000 claramente à frente em relação a outras actividades – como o pessoal de vendas com 14,9 por cento, administrativo com 15,1 por cento ou dirigente com 17,7 por cento.



Dentro dos 48,5 por cento do pessoal técnico, 20,3 por cento são programadores, 18,8 são técnicos de hardware, 17,6 técnicos de software, 12,4 por cento analistas e os formadores obtêm 2,4 por cento. Os restantes 28,8 por cento englobam outras profissões.


Notícias Relacionadas:

2001-09-27 - Barómetro INSAT regista pior mês nas TIs desde 1995

Entrevista: O sector da TIs cresce em média 12 por cento ao ano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.