O projeto foi apresentado em 2015, resultado de uma parceria entre a canadiana DataWind e a Reliance Communications (RCom) e, dizia-se na altura, que o equipamento custaria em redor de 14 euros e seria lançado na Índia no final desse mesmo ano.

Tal não chegou a acontecer, sendo que JioPhone só terá começado a ser vendido no último mês. O preço mantém-se baixo, rondando os 20 euros.

A ideia de negócio parece ter agradado aos investidores, com as ações da empresa de telecomunicações a atingirem um valor recorde. De acordo com a Bloomberg, Mukesh Ambani viu o seu património aumentar 12,5 mil milhões de dólares (10,55 mil milhões de euros) este ano, graças ao novo telefone.

O entusiamo com que o smartphone de muito baixo custo foi recebido foi tal que ofuscou o facto de a dívida da empresa ter subido para um máximo de pelo menos 15 anos.

Com sete anos, a empresa de telecomunicações já terá reunido mais de 31 mil milhões de dólares em investimentos sem ter rendido qualquer lucro, contribuindo para “ajudar” a quase triplicar a dívida total do grupo desde Março de 2012, sublinha a Bloomberg.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.