A joint venture estabelecida inicialmente entre a Microsoft e a Time Warner para a compra da empresa de tecnologias de DRM ContentGuard foi alargada a um terceiro elemento, a francesa Thomson, segundo se anuncia em comunicado de imprensa. As três empresas irão deter partes iguais, cada uma traduzida em dois assentos no Conselho de Administração da empresa adquirida.



O negócio deixa assim de estar sujeito ao parecer da Comissão Europeia, que não tem autoridade legal para analisar fusões e aquisições que integrem mais de dois co-proprietários em partes iguais e que por isso já anunciou o abandono da investigação que conduzia desde Agosto (ver Notícias Relacionadas).



"Dada a propriedade resultante e as estruturas de controlo, a nova operação não vai ser analisada mediante as leis da União Europeia" refere a Microsoft em comunicado.



O comissário da concorrência, Philip Lowe, reconheceu que a CE não tinha outra alternativa do que retirar-se. "Isto não significa que os temores relativamente ao monopólio a longo prazo desapareçam", salientou, citado pela Reuters. "Temos que vigiar o mercado", alerta.



Notícias Relacionadas:

2004-08-25 - CE investiga aquisição da ContentGuard pela Microsoft e Time Warner

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.