Ao abandonar as funções executivas da empresa portuguesa, o atual presidente da Portugal Telecom quer dedicar-se em exclusivo à liderança da CorpCo, a empresa que nascerá da fusão entre a Oi e a PT.

Zeinal Bava considera que este novo grupo "terá de ser gerido como uma verdadeira multinacional que tem projetos desafiantes no futuro e a ambição de se afirmar como uma referência sectorial", referiu em declarações à Reuters.

O responsável explicou que a reorganização proposta ao Conselho de Administração da Oi permitirá alocar tempo e recursos - "não só financeiros, mas também humanos" - às questões operacionais, financeiras e organizacionais mais prementes neste momento.

Zeinal Bava será substituído no cargo de presidente executivo da PT Portugal por Armando Almeida, ex-vice-presidente executivo para a Europa e África da Nokia Siemens Networks.

Além da saída de Zeinal Bava e a entrada de Armando Almeida, a reestruturação na PT Portugal também vai abranger a entrada de Marco Schroeder, Eduardo Michalski e Flávio Nicolay, provenientes da equipa financeira da Oi - e que garantem, assim, a "harmonização dos processos e transversalidade financeira".

Com as alterações, objetivo é antecipar a unificação das empresas, mesmo antes de concluída a fusão.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.