À procura de novos projectos para a Internet móvel, a Vodafone alargou este ano a Portugal o concurso Vodafone Mobile Clicks. Entre os 160 projectos entregues a concurso já foram seleccionados os que passam à fase final, entre os quais estão cinco empresas portuguesas.

Cardmobili, Cube, Eunoia, Live City e MobilePLUX competem agora com outras 15 empresas que representam Espanha, Holanda e Reino Unido para chegar à final e conquistar os prémios que se elevam a 150 mil euros, para além da possibilidade de integrar a rede de parcerias da operadora pan-europeia.

Luís Pedro Cardoso, Responsável pelos Serviços Internet & Mobile Advertising da Vodafone Portugal, confirmou ao TeK que neste concurso "Portugal excedeu, largamente, a sua 'quota' de representatividade em termos de população destes quatro países". Sem querer detalhar quantos projectos portugueses foram submetidos, este responsável refere que, uma vez que o concurso decorreu em Agosto, considera que a participação das start-ups no concurso foi bastante razoável.

"A qualidade das propostas apresentadas foi globalmente muito satisfatória, sendo que algumas excederam mesmo as expectativas da Vodafone por demonstrarem utilizações do telemóvel com elevado grau de inovação face ao que já existe hoje em dia", sublinha Luís Pedro Cardoso.

Para Portugal a experiência é positiva, já que na estreia neste concurso, a "comunidade tecnológica em Portugal nos deu um sinal inequívoco de que tomámos a decisão certa ao participar nesta iniciativa e que devemos continuar a avaliar a nossa participação em edições futuras".

Entre os projectos entregues as áreas cobertas abarcam variados temas, aplicações de localização a serviços de bio-tecnologia móvel (biofeedback), passando por gestão de projectos, planeamento pessoal, comunicação com pessoas com necessidades especiais, jogos, redes sociais, ou utilização do telemóvel para guardar cartões de pontos e fidelização.

Até dia 13 de Setembro, na próxima segunda-feira, as empresas ficam a saber se passaram à fase final, mas Luís Pedro Cardoso lembra que, independentemente dos resultados e da classificação, "a Vodafone Portugal irá manter-se em contacto com todos os participantes no sentido de explorar eventuais oportunidades de negócio relacionadas com os projectos apresentados ou outros que surjam e que sejam de interesse para ambas as partes", abrindo uma porta que se pode tornar uma oportunidade de ouro perante o número de cliente e abrangência pan-europeia da operadora.

A experiência positiva neste concurso replica iniciativas anteriores onde a comunidade de developers portugueses mostrou já o seu dinamismo. "Embora Portugal, dada a sua dimensão, tenha uma posição relativa reduzida dentro do grupo de 8 Operadores que participam neste projecto (Vodafone 360), conseguiu superar as expectativas e atingir indicadores muito acima da quota natural", adianta Luís Pedro Cardoso.

Já no concurso lançado no ano passado para o desenvolvimento de aplicações a Vodafone Portugal teve um saldo de participação acima da média, sendo que 40% dos prémios do concurso internacional foram ganhos por developers portugueses.

Também no concurso App Star, 20% das aplicações foram entregues por developers portugueses, e o vencedor foi o português Pedro Campos, cuja empresa colabora actualmente com a Vodafone sempre que surgem oportunidades no âmbito do desenvolvimento de aplicações móveis.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.