A Autoridade da Concorrência deu luz verde à integração dos clientes da Ar Telecom na Zon, uma operação que teve lugar no final do ano passado depois da empresa de Pereira Coutinho decidir sair do mercado residencial.



No início de novembro foi tornada pública a decisão da Ar Telecom de sair do mercado residencial, para passar a focar a operação apenas no mercado empresarial, onde assegura uma oferta de serviços de voz, Internet e televisão, como também fazia para clientes particulares.



No início do mês de novembro a Ar Telecom começou a informar os clientes de que iria descontinuar o serviço no final esse mês e a recomendar a migração para a Zon, adiantava o Negócios à data.



Na sequência desta recomendação aos clientes, a Autoridade da Concorrência considerou que as empresas teriam de notificar a operação, considerado que estava em causa um movimento de concentração.



A Zon notificou a AdC no início de dezembro, como o regulador clarificou numa nota no seu site "a Zon TV Cabo Portugal S.A. notifica a aquisição do controlo exclusivo do ativo correspondente à carteira de clientes residenciais da Ar Telecom". Vale ainda a pena referir que a Zon cumpriu o pedido da AdC mas manteve a convicção de que não houve lugar a uma operação de concentração entre as duas empresas.



O regulador teve um entendimento diferente e por isso solicitou uma comunicação oficial às empresas. Depois dessa comunicação feita, analisou a informação e deu espaço ao mercado para se manifestar, avaliando ainda se havia espaço a sanções pela falta de comunicação prévia do negócio. Ponderados dados, a AdC não encontra motivos de oposição à passagem de clientes da Ar Telecom para a Zon, de acordo com informação a que o Jornal de Negócios teve acesso.



Segundo a informação disponibilizada na altura, a desinvestimento da Ar Telecom no mercado residencial vai permitir à empresa poupar cerca de 20% ao ano, já que a quota de mercado da empresa neste segmento era muito reduzida e por isso o esforço para assegurar presença era muito elevado.



"Esta evolução cria oportunidades ao nível dos serviços avançados de telecomunicações, tecnologias de informação, virtualização e serviço de clouding, de elevado valor acrescentado e, que contribuem decisivamente para a competitividade das empresas e organizações clientes da Ar Telecom", justificava a empresa numa nota à imprensa.




Recorde-se que a Zon controlava no final do ano passado 53,9% do mercado de televisão por subscrição. No mesmo mercado oferecia serviços de triple play a Ar Telecom, que detinha uma posição de 0,7% no universo de 2,97 milhões de subscritores de serviços pagos de TV existentes em Portugal.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Cristina A. Ferreira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.