"Vamos abrir uma investigação sobre as escutas ao telemóvel da chanceler", declarou Harald Range, procurador-geral, esta quarta-feira aos jornalistas, após uma audiência perante uma comissão parlamentar.

A investigação foi aberta contra “pessoas desconhecidas, por atos de espionagem e atividades a favor de um serviço de inteligência estrangeiro”, avança a imprensa, citando o responsável.

A procuradoria geral alemã acredita que há fortes evidências que sustentam a suspeita de que os serviços secretos americanos espiaram as comunicações do telefone de Merkel.

O caso surgiu com a informação, divulgada em outubro por jornais de referência, com base em documentos revelados por Edward Snowden, de que a NSA vigiava o telefone da chanceler alemã desde, pelo menos 2012.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.