A Amazon testou com sucesso uma tecnologia que vai acelerar a capacidade da empresa para concorrer com a SpaceX de Elon Musk, no fornecimento de serviços de internet de alta velocidade através de satélite, quando a constelação de satélites do projeto Kuiper o permitir.

A tecnologia em questão, designada OISL - Optical inter-satellites Links permite a ligação laser direta entre satélites para comunicações de dados, ao contrário das comunicações convencionais que precisam da ligação a um gateway em Terra. Ao evitar esta “viagem” a Terra para a transmissão de dados, as comunicações satélite com OISL ganham em rapidez e reduzem a latência. Nos testes da Amazon, entre dois satélites que a empresa já tem na órbita baixa da Terra foram transferidos dados a 100 gigabits por segundo, numa distância de quase 1000 km.

O teste serviu, entre outras coisas, para verificar a estabilidade da ligação OISL durante um determinado período, que neste teste foi de uma hora, para assegurar conectividade enquanto os satélites seguem o seu percurso em órbita. Por hora, movimentam-se cerca de 25 quilómetros.

"Com ligações ópticas entre satélites na nossa constelação, o Projeto Kuiper funcionará efetivamente como uma rede mesh no espaço", sublinhou em comunicado Rajeev Badyal, vice-presidente de tecnologia do Projeto Kuiper da Amazon.

"Uma vez que a luz viaja mais depressa no espaço, a rede mesh orbital da Kuiper conseguirá transmitir dados cerca de 30% mais depressa do que se percorresse a distância equivalente, através de cabos de fibra ótica terrestres", refere-se na mesma nota.

Veja o vídeo dos testes 

O projeto Kuiper foi lançado em 2019, mas arrancou efetivamente muito depois do previsto. Em outubro foram lançados dois satélites, que a empresa já confirmou estarem completamente operacionais e que foram usados para os testes agora divulgados. O plano é que a constelação venha a ter 3.236 e um dos grandes objetivos da infraestrutura é levar internet de banda larga a locais, onde outras tecnologias não consigam fazê-lo em boas condições. A empresa já disse que planeia equipar alguns dos próximos satélites a lançar com esta capacidade para que possam conectar-se entre si.

O Kuiper prevê um investimento de 10 mil milhões de dólares e avança em força no próximo ano, já com 97 lançamentos agendados, segundo a CNBC. Curiosamente, a rival SpaceX vai assegurar alguns desses lançamentos, para que a empresa consiga avançar mais rapidamente no roadmap.

A SpaceX já terá no espaço mais de 5.000 satélites e já oferece um serviço de internet baseado nesta infraestrutura, com a marca comercial Starlink. A empresa espacial de Elon Musk tem vindo a introduzir esta mesma tecnologia nas gerações mais recentes da sua constelação de satélites.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.