A garantia foi dada por António Júlio de Almeida, presidente da Empresa de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL), que em declarações à Lusa afirmou que já há três operadores autorizados com os quais vai ser possível fazer o pagamento.

Os nomes desses operadores vão ser dados a conhecer na próxima quarta-feira e passam a estar afixados em cada um dos parquímetros da EMEL.
Ao contrário do que acontece em outras cidades do país, em Lisboa o custo do envio do sms ou email -- a avisar do início e fim do estacionamento - vai ser suportado pelo utilizador, e não pelo operador de telecomunicações, seguindo o princípio do "utilizador pagador".

"O cliente já está a usufruir dos benefícios de diminuição do risco de transgressão, ter a certeza que está a pagar o preço justo (ao minuto) e não ter a preocupação se o tempo de estacionamento comprado está a chegar ao fim", considera António Júlio de Almeida.

A EMEL diz que a solução desenvolvida é também tecnicamente mais avançada que a de outras cidades do país por permitir o pagamento através da internet, além do sms.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.